Arranjos transformam lixo em renda

Transformar lixo em dinheiro. Essa é uma das propostas do curso de Arranjos Florais, ofertado pelo Fundo Ver-o-Sol, entidade da Prefeitura de Belém. A maioria do material utilizado nas oficinas é composta por resíduos descartados que se transformam em obras de arte comercializáveis.

Há 18 anos no mercado do artesanato, a professora do curso, Aparecida Carvalho, conta que reaproveita todo tipo de materiais. “Tenho um armazém em casa para guardar objetos e materiais que, para algumas pessoas, não possuem valor algum. No curso de Arranjos Florais, nós transformamos garrafas pet, papelão, galhos secos, sementes, cascas e outros em adereços de decoração que, se feitos da forma certa, deixam o ambiente mais agradável visualmente”, explica.

Outro trabalho realizado pelo curso é a valorização dos elementos regionais. Sementes de frutas da Amazônia também são utilizadas para dar um toque especial aos produtos feitos nas oficinas. “Usamos caroços de açaí, fibra de banana, folhas de cacau, palha do coco, sementes de tucumã, de paxiuba e outras que só encontramos na região amazônica”, afirma Aparecida Carvalho.

Embora haja dificuldades no que se refere ao consumo dos materiais, a professora garante que o artesanato, muito além de um hobby terapêutico, é uma fonte alternativa de renda. “Basta ter motivação, determinação, criatividade e, claro, muito amor pelo que faz”, conclui Aparecida.

Maiores informações sobre esse e outros cursos podem ser obtidas junto ao Fundo Ver-o-Sol, localizado na Avenida Cipriano Santos, 40, São Brás. Tel.: (91) 3236-3722. Site: fundoverosol.belem.pa.gov.br.

Comentários