Contrato para construção de terminal hidroviário de Santarém é publicado no Diário Oficial

O terminal será instalado no bairro da Prainha, no espaço onde funcionou a antiga fábrica da Tecejuta e será um dos mais modernos do Brasil. (Foto da maquete eletrônica). (Foto: Samuel Alvarenga / Secom)

O contrato de prestação de serviços de execução de obras e serviços de engenharia para a construção do terminal hidroviário de passageiros e cargas do município de Santarém, na região do Baixo Amazonas foi publicado na edição desta sexta-feira (2), no Diário Oficial do Estado e da União. A obra é de responsabilidade do Consórcio Tapajós, com sede em Belém, formado pelas empresas Paulo Brígido Engenharia e Laje Construções.

O terminal está orçado em R$ 59.884.105,61, recurso oriundo da Caixa Econômica Federal, por meio de contrato firmado com o Governo do Estado do Pará, em um pacote de mais de R$ 80 milhões para construção de terminais. O anúncio do contrato foi feito pelo presidente da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Alexandre Von, ao secretário regional de Governo do Baixo Amazonas, Olavo das Neves, nesta sexta feira.

De acordo Alexandre Von, este é um sonho que começa a se realizar. "Será um equipamento em Santarém, mas efetivamente será de toda região oeste do Pará, porque vai nos aproximar e nos integrar mais. Lembrando que além do terminal hidroviário de Santarém, nós estamos construindo terminais em mais seis municípios (Curuá, Almeirim, Prainha, Faro e Terra Santa, além de mais um, em Santana do Tapará, também em Santarém), todos já em obras e todos no Baixo Amazonas", disse o presidente da CPH, que confirmou para 2018, obras em Alenquer e Óbidos, para conclusão; Monte Alegre, reforma e adequação; e Aveiro, que ganhará um terminal novo. 

O terminal hidroviário de Santarém será instalado no bairro da Prainha, no espaço onde funcionou a antiga fábrica da Tecejuta. Ele será um dos mais modernos do Brasil, dotado de um terminal de passageiros com 3,6 mil metros quadrados de área construída e contará com a seguinte estrutura: embarque e desembarque de passageiros; guichês para venda de passagens; guarda-volumes; banheiros masculino, feminino e para portadores de necessidades especiais; fraldário; praça de alimentação com 404 lugares; área de espera com 801 lugares; espaço para órgãos intervenientes (Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos -Arcon, Juizado, Conselho Tutelar, Secretaria de Estado da Fazenda - Sefa, Capitania dos Portos, Receita Federal e Polícia Militar); quiosques de informações e loja; escada rolante e plataforma vertical.

O empreendimento contará, também, com área para estacionamento, com 120 vagas para carros, 90 para motos e 60 para bicicletas e terá, ainda, ponto de táxi e paradas para ônibus e micro-ônibus. Já o terminal de cargas terá 5,6 mil metros quadrados de área para uso das empresas de transporte fluvial.

A estrutura naval terá um píer flutuante com 3.600 m², oito fingers de atracação (4,00 x 15,00 metros), rampa metálica bi-articulada de 10 x 70 metros para acesso ao flutuante e passarela em concreto de 2.494 m², com circulação separada entre passageiros e cargas. Ela terá capacidade para atracação de 17 embarcações ao mesmo tempo, de maneira organizada.

A Ordem de Serviço, para início imediato da obra, será entregue pelo governador Simão Jatene no dia 10 de março, em Santarém.

Comentários