Projeto cria o Dia Estadual de Atenção ao Fissurado Labiopalatal

A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) aprovou na sessão ordinária desta terça-feira, (20/03), a criação do Dia Estadual de Atenção ao Fissurado Labiopalatal, no dia 06 de agosto. O Projeto de Lei nº 125/2017, de autoria do deputado estadual Raimundo Santos, prevê também a criação da semana alusiva à data para congregar ações que deem visibilidade ao problema de saúde e sensibilize o poder público na implementação de políticas públicas de atendimento aos pacientes dessa deformidade. Agora, o projeto seguirá para o Poder Executivo para ser sancionado pelo governador do Estado, Simão Jatene, e ser transformado em lei estadual.

De acordo com o autor do projeto, deputado estadual Raimundo Santos, o objetivo é chamar a atenção da sociedade para o problema de saúde e buscar o fortalecimento das ações de atendimento aos pacientes fissurados. “Queremos chamar a atenção da sociedade paraense para a realidade e o sofrimento enfrentado pelas pessoas que têm esse problema congênito, que geram dificuldades para se alimentar e respirar, além de enfrentar o preconceito, que leva às famílias ao sofrimento. E apesar de existir, hoje, a possibilidade de tratamento, com a realização de cirurgia pelo SUS, mas a demanda é grande e muitas crianças vão para outros estados e enfrentam muitas dificuldades para solucionar o problema. A criação dessa data é um reconhecimento do Poder Legislativo, é uma forma de atrair a atenção das autoridades e de todos porque esse é um problema que envolve toda a sociedade", disse.

Segundo dados do Ministério da Saúde, de cada 600 bebês que nascem no Brasil, um nasce com fissura labiopalatal. A presidente da Associação Sorrisos Largos, Tatiana Mota, avalia de forma positiva a criação da data porque aumentará a atenção e sensibilização da sociedade para os problemas enfrentados pelos fissurados e seus familiares. “Será muito importante termos visibilidade porque todos os problemas que nós enfrentamos de falta de políticas públicas são pelo fato de nós não termos dados estatísticos precisos sobre o número de casos e de atendimentos. Então, a gente tendo esse dia, as pessoas que enfrentam esse problema vão se sentir valorizadas e encorajadas a procurar a associação e o poder público em busca de tratamento”, destaca Tatiana Mota.

“A criação dessa data é justamente para fomentar as políticas públicas para que elas melhorem e os fissurados tenham o devido atendimento, não só de saúde, mas os seus direitos assegurados, principalmente, emocionalmente, para que sejam acolhidos”, complementa a presidente da associação, que acompanhou a sessão da galeria do plenário Newton Miranda junto com vários integrantes da entidade.

 

Comentários