Avião pousa com a logomarca 'Pará, A Obra-Prima da Amazônia'

A logomarca “Pará, A Obra-Prima da Amazônia” vem adesivada na aeronave modelo Airbus A 320, da Companhia Azul Linhas Aéreas (Foto: Thiago Gomes /Ag. Pará)

A aeronave modelo Airbus A 320, da Companhia Azul Linhas Aéreas, com a logomarca “Pará, A Obra-Prima da Amazônia” adesivada, pousou no Aeroporto Internacional de Belém na tarde de terça-feira (27). Levando a logomarca em sua aeronave, a companhia promove o turismo paraense nos mercados nacional e internacional. A estratégia é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e a Azul Linhas Aéreas.

A aeronave está voando por toda a malha aérea nacional da companhia, e já passou por outros países, como Argentina, Uruguai e Guiana Francesa. A Azul tem ampliado suas bases de operações no Pará com rotas regionais, nacionais e internacionais. “Esta é uma estratégia no sentido de levar a marca do turismo paraense para todos os lugares em que a Azul voa. Desta forma, o turismo no Pará é promovido como atividade econômica”, informou o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes.

Mais opções - A empresa visa fazer de Belém um HUB Aéreo – um centro de logística da empresa. Com a implantação do HUB, cresce o número de pousos e decolagens. Para os passageiros, isso significa mais opções de voos diretos e, possivelmente, redução nos preços das passagens. Um HUB significa também a atração de empresas de manutenção de aeronaves e de armazenagem de cargas, dinamizando a economia local e expandindo a atividade turística na região.

“Estes investimentos estão pautados pelo Plano de Desenvolvimento Econômico do Estado, o Pará 2030. O portão de entrada aéreo é por demais importante no sentido de transformar o aeroporto do Estado do Pará no HUB da Região Norte”, ressaltou o secretário.

Investimento - Para o gerente de Aeroportos da Azul Linhas Aéreas, Gustavo Fortunato, esta parceria da companhia com o governo para incentivar o turismo foi viabilizada pelo crescimento do Estado, e é uma prova de que a Azul está disposta a investir em sua malha aérea na região. “Isso é um ganho para todo o Estado e toda a população”, destacou.

Para Fábio Rodrigues, superintende da Empresa de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) em Belém, essas estratégias de incentivo ao turismo servem também para a sustentabilidade do Aeroporto Internacional de Belém. Ele explicou ainda que cada novo voo é uma fonte de renda para o Aeroporto de Belém. “Ver uma empresa como a Azul não só direcionar um esforço de malha aérea com conectividade e homenagear o turismo em suas aeronaves, já gera uma curiosidade e atratividade para o turismo na região”, acrescentou.

Voos internacionais - Também está previsto para o próximo mês de julho o início da operação do voo Belém-Buenos Aires (Argentina) da Companhia GOL. Com mais essa alternativa, a capital paraense ficará ligada a sete cidades de forma direta.

Do Aeroporto Internacional de Belém já partem voos diretos para Lisboa (Portugal), realizado pela TAP; Miami (EUA), feito pela Latam; Caiena (Guiana Francesa) e Fort Lauderdale (EUA), operados pela Azul; Paramaribo (Suriname), também pela GOL, e ainda voos da Surinam Airways, que também faz a rota para Caiena e Paramaribo, e países da América do Norte, América Central, América do Sul, Caribe e Europa.

Comentários