Esportes radicais e riqueza natural fascinam visitantes do Parque do Utinga

O supervisor de vendas Sérgio Sousa passeando de bike com o filho Arthur, aproveita o contato com a natureza em uma fase da vida mais saudável (Foto: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ )

tudo bem, mãe!”, gritou o menino Gabriel Dias, 12 anos, enquanto descia 8 metros pendurado em uma corda, no Parque Estadual do Utinga (Peut), na manhã desta sexta-feira (30). Gabriel é uma das centenas de crianças que, diariamente, se encantam pelo rapel, um dos esportes de aventura praticados no Parque, área de preservação ambiental, ideal ao lazer e à prática esportiva, entregue em março pelo governo do Estado.

“Viemos hoje aqui para aproveitar o feriado em família nesse espaço maravilhoso para o lazer”, disse a mãe de Gabriel, a contadora Simone Dias, 49 anos, enquanto vibrava, junto com o marido e a filha mais velha, pela primeira aventura do caçula no Parque Estadual do Utinga. “Adorei a experiência, e quero fazer de novo”, garantiu o mais novo praticante de rapel.

Neste primeiro feriado após a reabertura do Parque ao público, no último dia 16, o movimento no Peut foi intenso, principalmente de famílias e esportistas. Gente de todas as idades aproveitou a estrutura, segurança e tranquilidade do local para praticar seu esporte favorito. Bicicletas, patins e skates disputavam espaço em meio aos quatro quilômetros de percurso da pista principal.

Aventura com proteção - O rapel, esporte de aventura, iniciado por Gabriel nesta sexta-feira, é uma das atrações do espaço. Uma média de 100 pessoas por dia costuma se aventurar no esporte, que exige do praticante mãos firmes e pernas preparadas para descer rumo a um igarapé, pendurado em uma corda, mas devidamente amparado por um instrutor.

O eletrotécnico Flávio Santos, 38 anos, é um dos instrutores. Durante dois anos, ele se qualificou e conseguiu ser credenciado pela direção do Parque para orientar os praticantes. “A reabertura desse espaço foi excelente! Nós, praticantes do rapel, sempre sonhamos com isso. O lugar precisava dessa estrutura. Não adiantava colocar um muro para preservar. Era preciso abrir os muros para a população usufruir do espaço e aprender a ter consciência ambiental. E nossa função aqui também é essa: orientar as pessoas a cuidar desse lindo espaço”, disse o instrutor.

 A arquiteta Jéssica Nogueira, 24 anos, é praticante de rapel há um ano, e sentia falta de um local apropriado e seguro para a prática do esporte em Belém. “Não só os praticantes de rapel, mas todos os esportistas comemoraram a reabertura desse Parque, que é um espaço único em Belém, com toda essa segurança e estrutura”, destacou Jéssica.

Novo espaço, vida nova – A reabertura do Parque coincidiu com a nova fase vivida pelo supervisor de vendas Sérgio Sousa, 37 anos. Acompanhado do filho Arthur em uma bike, ele virou frequentador do espaço desde a abertura, e contou que “há três meses parei de beber e fumar, e o Parque veio para marcar essa retomada. O local é perfeito para quem busca qualidade de vida”.

O Parque do Utinga é uma Unidade de Conservação na Região Metropolitana de Belém, que guarda os lagos Bolonha e Água Preta, os principais mananciais da RMB, e uma grande biodiversidade da fauna e flora da Amazônia.

O objetivo do Peut é a promoção de serviços com segurança e qualidade, realizados de acordo com o Plano de Manejo do Parque, e utilização dos lagos como espaços para atividades esportivas que se enquadrem nos objetivos desse Plano.

Atrações - Além do rapel, o Parque oferece canoagem, trilhas, boia cross e outros esportes, ainda em caráter experimental. A área verde dispõe de mais de nove quilômetros de trilhas interpretativas, abertas e recuperadas, atrações para passeios guiados.

O acesso ao Parque é gratuito, sem cobrança de ingresso. Uma parceria firmada entre a Gerência do Parque Estadual do Utinga (Peut), vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-bio), com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), oferece aos visitantes um serviço de alimentação diferenciado, fornecido por food trucks instalados na área do Centro de Acolhimento e na rotatória de acesso à Casa da Mata.

Segundo informações da Gerência do Parque, quase 32 mil pessoas já estiveram no Peut desde a reabertura. No primeiro final de semana, aproximadamente 20 mil pessoas visitaram o Parque.

No segundo final de semana, a média de visitantes foi de 8 mil. Durante a semana, calcula-se que 300 pessoas passem diariamente pelo Utinga.

Comentários