CPI ouve dois moradores de Barcarena e recebe inquérito do naufrágio do navio Haidar

(Foto: Carlos Boução)

Os deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os danos ambientais ocorridos na bacia hidrográfica do rio Pará ouviram, nesta segunda-feira (23.04), o depoimento de mais duas lideranças comunitárias, moradoras de Barcarena:  Rosemiro Conceição dos Santos, da comunidade do Distrito Industrial; e Francisco Sardo Junior, da comunidade de Vila do Conde, na Vila dos Cabanos.

O depoimento de Fábio Lúcio Costa, presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará, foi transferido para uma outra data pelo presidente da CPI, deputado cel. Neil. Vários deputados já haviam justificado suas ausências nas oitivas do dia 23. “Como era necessária uma presença maior de deputados neste depoimento, resolvi transferi-lo”, explicou Neil. Na oitiva, que não é necessário quórum, estava presente, além do presidente da CPI, o deputado Miro Sanova.

Não foi votado nenhum requerimento de novas oitivas ou providências, no entanto, foi informado o recebimento da cópia do inquérito administrativo que investigou o acidente com o naufrágio do navio Haidar, que continha mais de cinco mil cabeças de gado em 2015, ancorado no Porto de Vila do Conde. O inquérito, contendo mais de 800 páginas, foi conduzido pela Capitania dos Portos da Amazônia Oriental.

Os depoimentos colhidos reforçaram a impressão dos deputados do prejuízo ambiental que ficou no município de Barcarena, afetado por mais de 20 desastres ambientais computados a partir dos anos 2000 até este último ocorrido na bacia de rejeitos da Hydro Alunorte em fevereiro.

“Um dos maiores problemas é a omissão do próprio governo, que não fez o que devia fazer, que é o de fiscalizar qualquer tipo de projeto que venha a ser implantado dentro do município de Barcarena ou qualquer outro lugar do Pará e do Brasil”, considerou Rosemiro Conceição, da comunidade do Distrito Industrial em Barcarena.

Ele identifica responsabilidades entre todos os entes, união, estado e município. “Mas é o município que leva o maior impacto, que além dos danos ambientais irreversíveis, fica com o dano moral, que desabona o município, afastando o turista, afogando a economia e enterrando sonhos”, manifestou.

Já para Francisco Sardo, da comunidade de Vila do Conde, na Vila dos Cabanos, a instalação e funcionamento da CPI para os moradores de Barcarena tem a função de contribuir para o renascimento da confiança.  “Queremos viver, ter vida saudável, ter segurança, para que nós, nossos filhos e netos possam viver com tranquilidade e tendo esperança de futuro, vivendo nestas áreas”, disse.

Ele expressou ainda que considera a atuação dos deputados da CPI como fator preponderante para que os compromissos firmados pelas indústrias, devido aos impactos sofridos pela comunidade, sejam regularizados e resolvidos. "Queremos que a vida retome sua normalidade e as pessoas possam conviver e viver ao redor das industrias”, concluiu Sardo.

O presidente da CPI, deputado cel. Neil, considerou que os depoimentos colhidos vieram para reafirmar a repetição de erros ocorridos em Barcarena, de confirmação dos impactos, da existência de pessoas que adquiriram doenças em virtude da poluição ambiental produzido principalmente pelas empresas minero metalúrgica.

Para o deputado Miro Sanova, os depoimentos já se repetem. “O que percebemos são problemas na ordem do meio ambiente, da saúde, na economia do município por conta dos acidentes ambientais que estão prejudicando o seu desenvolvimento”, avaliou.

 

Oitava rodada de oitivas - Nesta terça-feira (24.04), mais três depoimentos devem ser colhidos no auditório João Batista. Serão ouvidos Eduardo Leão, presidente da Comissão de Política de Incentivos ao Desenvolvimento Sócio Econômico do Estado do Pará; José Edmilson Lobato Junior, diretor geral do Centro de Perícias Científicas  Renato Chaves; e Heitor Marcio Pinheiro, secretário de Assistência Social, Trabalho de Emprego e Renda do Estado.

A CPI é Presidida pelo deputado cel. Neil, tendo como relator o deputado Celso Sabino e como membros titulares os deputados Eliel Faustino, sd. Tércio, Carlos Bordalo, Miro Sanova e José Scaff.

 

Comentários