Bernardo Sayão entra em nova etapa de asfaltamento

Na quinta, 26, será iniciado o asfaltamento propriamente dito, e o dia 27 será destinado ao chamado tempo de cura, necessário para o asfalto ganhar resistência. (Foto: Oswaldo Forte)

A partir desta quarta-feira, 25, terá início a nova etapa de asfaltamento da avenida Bernardo Sayão, no trecho entre José Bonifácio e Augusto Corrêa, no bairro do Guamá, com a conclusão da pavimentação dos primeiros mil metros da pista nova e a interdição da outra pista, para a fase final das obras de saneamento e urbanização que estão sendo realizadas na área pela Prefeitura de Belém, por meio do programa Sanear Belém de macrodrenagem da Bacia da Estrada Nova. Com isso, haverá inversão no trânsito e a pista já asfaltada receberá o tráfego e vai operar em mão dupla até a conclusão dos serviços, prevista para o dia 14 de maio.

Em reunião realizada, na última segunda-feira, 23, com os donos de portos e comerciantes da área, a equipe de engenharia responsável pelo projeto apresentou o cronograma de serviços e modificações no trânsito da área, definidos em conjunto pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), com os próprios donos de portos e também com a Guarda Municipal de Belém (GMB), que dará apoio nas ações de segurança durante a interdição.

Etapas - Para minimizar os transtornos aos comerciantes, principalmente os que operam com embarque e desembarque de cargas nos portos do perímetro, o asfaltamento será realizado em quatro etapas, por trechos de cerca de 250 metros e interdições parciais. “Essa foi a melhor maneira encontrada para reduzir os transtornos e garantir o serviço na via que vai beneficiar toda a comunidade”, explicou o engenheiro Antônio Neto, fiscal da obra.

Pelo cronograma acordado entre Semob, Sesan, Sanear Belém e donos dos portos, o trabalho vai começar pela esquina da rua Augusto Corrêa, em frente ao portão da Universidade Federal do Pará (UFPA), nesta quarta, 25, com a realização dos serviços de terraplenagem. Na quinta, 26, será iniciado o asfaltamento propriamente dito, e o dia 27 será destinado ao chamado tempo de cura, necessário para o asfalto ganhar resistência, antes de ser liberado para o tráfego. No dia 2 de maio, a mesma programação será iniciada no trecho seguinte e o terceiro trecho tem previsão de início no dia 7 de maio. Os últimos 250 metros da avenida devem ser asfaltados a partir do dia 10 de maio e a conclusão deve ocorrer até o dia 14 de maio.

Trânsito - A Semob vai atuar com duas equipes na área, posicionadas nas extremidades do trecho em obras para garantir a interdição de forma segura para quem transita na área e para os operários que atuam nas obras. Segundo Marcos Chagas, diretor de trânsito da Superintendência, os agentes estarão em motocicletas para percorrer os trechos e garantir que a área fique isolada, tanto durante a pavimentação, quanto ao longo do tempo de cura do asfalto.

Chagas ressalta que o tráfego será feito exclusivamente na chamada pista nova. Na pista antiga, mesmo com o fechamento apenas por trechos, os demais perímetros serão utilizados apenas para acesso local, em especial aos caminhões que se dirigem aos portos.

"Não adianta o condutor querer pegar um trecho livre na pista antiga, porque ele vai se deparar com a obra alguns metros depois e não haverá pontos de retorno. A área ficará aberta apenas para acesso aos portos", alertou Chagas.

A população que mora e trabalha na área já vinha sendo informada pela equipe do Sanear Belém sobre as mudanças, não só no trânsito, mas também quanto a questões de segurança para quem transita no trecho.

Sinalização - Para iniciar a pintura de sinalização das pistas ao final das obras de pavimentação, será necessário aguardar o período de secagem completa do asfalto, o que deve durar, segundo recomendações técnicas, aproximadamente 15 dias. “É o tempo necessário para que o asfalto não absorva a tinta e o serviço ganha durabilidade”, esclarece o engenheiro Antônio Neto, que ressaltou a importância de evitar o risco de desperdício de dinheiro público, com pintura perdida.

Em virtude disso, o diretor de trânsito da Semob alerta que o cuidado ao volante deverá ser redobrado. "A pista asfaltada não deve ser sinônimo de velocidade e imprudência. Iremos liberá-la antes de a sinalização ser finalizada por um acordo com os proprietários de portos, que estão sendo parceiros desde o início do trabalho na área e não podem ser penalizados com a demora na abertura da via, mas é importante ressaltar que, sem sinalização, o cuidado deve ser redobrado, seguindo a risca as orientações do Código de Trânsito Brasileiro, e todo condutor sabe de sua responsabilidade ao volante", orienta Marcos Chagas.

Mudança - O projeto da nova avenida Bernardo Sayão se adapta às demandas que vão surgindo com o avanço da obras. Foi o que ocorreu com uma rotatória prevista, na confluência dessa avenida com a rua Augusto Corrêa, em frente à Universidade Federal do Pará (UFPA), que passou por mudanças.

“A construção de uma rotatória nessa confluência implicaria em um impacto direto à vida de 30 famílias, aqui das redondezas, e em especial na área de geração de emprego e renda delas. Fizemos um estudo de viabilidade e optamos por suprimir a rotatória e implementar uma ‘folha’. Com isso, não teremos problemas de mobilidade, que será mantida como o projeto original, e ainda vamos ter uma economia de R$ 4 milhões, que seriam utilizados no pagamento de indenizações por desapropriações às famílias que seriam atingidas. Essa verba poderá ser utilizada, por exemplo, em outras áreas, como a recuperação de passagens e vielas que se estendem ao longo da avenida Bernardo Sayão”, explicou a coordenadora geral do programa Sanear Belém, Luciana Vasconcelos.

 

(Texto escrito com colaboração de Dedé Mesquita)

Comentários