Salão do Livro de Carajás começa com sucesso de público no Centro de Convenções de Marabá

A abertura do Salão do Livro contou com a apresentação do Povo Indígena Parkatejê. (Foto: Elza Lima/Secult)

No rosto da pequena Tábita Jasmim, de 9 anos, o deslumbramento de ver tantos livros infantis. Foi a primeira experiência da leitora mirim em uma feira do livro. "Estou achando muito legal. Gosto de ler. Papai vai levar um de colorir anti-estresse. Eu dou um recado que leiam porque é muito bom porque vai descobrindo mais coisas”, disse.

Quem também estava maravilhado com o Salão do Livro de Carajás era o professor da rede municipal de Ensino de Marabá, Wynklyns Lima. “Eu tinha muita vontade de adquirir alguns livros e ficava ruim sair da cidade para comprar fora. Eu fiz lista para comprar livros há anos, e agora, consegui. É uma oportunidade única para comprar, adquirir novos conhecimentos, é um espaço de cultura, aprendizado, lazer e entretenimento”, anunciou.

A abertura oficial do Salão do Livro de Carajás foi realizada nesta sexta-feira, às 19 horas, no Centro de Convenções de Marabá. Na ocasião o escritor João Brasil Monteiro, de 92 anos, ícone da literatura regional em Marabá, com mais de 10 livros publicados, foi homenageado. Representando o governador do Estado, o secretário Regional de Governo, Jorge Bittencourt, afirmou que dá orgulho ver esse evento como fruto do processo de integração.

“É uma união de todos com o apoio da iniciativa privada da Vale, do Governo do Estado, a Assembleia Legislativa, na pessoa do presidente Márcio Miranda, junto com a prefeitura municipal de Marabá. É um momento de interação da sociedade, dos produtores, da diversidade literária e cultural da região. É um momento de interação da sociedade, desses produtores. Nos dá orgulho, com o Centro de Governo do Sudeste no seu primeiro ano atendendo a 39 municípios vivenciarmos esse processo de integração na região, no município polo e referência que é Marabá”, esclareceu.

Para a diretora de Cultura da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Ana Catarina Brito, que representou o secretário de Cultura, Paulo Chaves, o sentimento é de conquista em ver mais um município receber o Salão do Livro.

“Estamos vendo aqui que esse salão nascer redondo, forte, bonito, muito bem estruturado, a construção do centro de convenções já está mostrando que veio na direção certa, viabilizando eventos desse porte. A população respondendo com corredores lotados, a gente percebe que a ação está na direção certa, que esse é o caminho, descentralizar, levar a literatura, ações culturas para mais perto das pessoas, valorizar e abrir vitrines para produção artística e cultura local, e é isso que esse salão vai fazer, com palestras, oficinas, encontros literários, seminários, shows, arenas das artes. O salão realmente só pela abertura nos confirma que valeu a pena e que teremos uma ação exitosa nesses 10 dias”.

O prefeito de Marabá, Tião Miranda, explicou que a cidade já teve Feira do Livro, mas nunca nessa proporção. O gestor esclareceu que deseja que o evento fique no calendário do município. “Eu fico muito feliz porque eu vejo o retorno do salão, a gente fazia uma feira lá no ginásio da Folha 16, e hoje a gente vê uma feira do livro no Centro de Convenções. Sabemos das dificuldades que é fazer uma feira no Brasil e, ainda mais no Norte. Certamente o salão ficará no calendário anual de Marabá. As pessoas do bem têm que se unir para as coisas boas acontecerem. Lembro que quando era menino ganhei meu primeiro livro de uma enfermeira que morava na casa da mamãe. Lembro até da capa do livro. Fico feliz que esse evento, além de trazer conhecimento, vai cultivando a importância do livro. Peço aos pais para que ajudem a criar esse hábito da leitura nos filhos”.

O presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda, foi a Marabá para visitar o salão e ficou empolgado com o que viu na abertura do evento. “Vir ao interior do Pará, no interior da Amazônia ver a diversidade de autores, ver o preço dos livros, publicações a 10 reais, dá vontade de sair levando tudo. E o que é mais importante, a feira realizada num ambiente gostoso, aconchegante, com auditórios maravilhosos, a união das famílias, estou muito empolgado”.

O 1º Salão do Livro conta com 32 estandes, cerca de 100 editoras e, em média 40 mil publicações em exposição e estoques. A expectativa da Associação Nacional de Livrarias é que, durante os 10 dias de evento, circulem na feira 50 mil pessoas e gere uma movimentação financeira de R$ 1 milhão, principalmente com o Programa CredLivro. Foram disponibilizados R$ 400 mil para os professores da rede estadual de ensino, com crédito de R$ 200 para a aquisição de livros.

A iniciativa também teve a adesão da Prefeitura, que vai disponibilizar R$ 300 mil em créditos de R$ 150 para os professores da rede municipal. A jovem Michelle Lima Pereira aproveitou os preços do salão. “Comprei um box de livros e mais três títulos. Está barato em comparação a outro lugar. Estou gostando bastante”.

A abertura do Salão do Livro lotou não só os corredores e estandes, mas também o auditório com a programação cultural que contou com a apresentação da Banda Marcial de Marabá, do Povo Indígena Parkatejê e um espetáculo de músicas de ritmos colombianos com show do cantor Bruno Benitez e Banda Mundo Mambo. O encerramento ficou por conta do cantor e compositor marabaense, referência artística na região, Diego Aquino, com o show “O Grito”, animando o público.

“Achei a escolha maravilhosa, eu amo o Diego Aquino, ele canta muito bem. Achei muito legal a chegada do salão porque Marabá precisa de eventos assim, eu fiquei tão empolgada que eu vou trabalhar como voluntária na feira”, afirmou Sabrina Alana, estudante de Psicologia.

Programação

No segundo dia de feira, além de apresentações artísticas das Escolas do Campo, está previsto Espetáculo Musical Dança dos Livros, contação de histórias de manhã e à tarde, com as Tias Missão Kids, Rodas de Conversa “Artes Visuais em Marabá”  e “Literatura e Negritude”, com a professora Liliane Batista, da Unifesspa, respectivamente às 16h e 19 horas; apresentação musical com o show Doxologia e Salsa com Jambu, do cantor Bruno Benitez e Banda Mundo Mambo.

No dia 29, domingo, tem Companhia de Dança de Tucuruí e o espetáculo de dança do ventre, além dos shows musicais às 9h30 e 15h; no Sarau Performático "Filhos da Terra", artistas apresentam personagens históricos da cidade de Marabá, às 19 horas; e do cantor Clauber Martins Cantador se apresenta às 20 horas. A programação tem ainda oficinas, roda de conversa, contação de histórias, cantigas de roda e brincadeiras tradicionais pela manhã e tarde.

Serviço:
Salão do Livro do Sul e Sudeste do Pará, até 6 de maio, no Carajás Centro de Convenções Leonildo Borges Rocha.

Comentários