Dono de porto oferece café da manhã aos operários das obras da Bernardo Sayão

Pela primeira vez em mais de 30 anos de trabalho como operário, Irineu Fonseca Ferreira, de 63 anos, recebeu uma homenagem que o deixou comovido. Ele e outros cerca de 50 trabalhadores que atuam nas obras de saneamento e urbanização da avenida Bernardo Sayão, no trecho entre a rua Augusto Correa e a avenida José Bonifácio, ganharam um café da manhã especial, oferecido pelos proprietários de um dos portos localizado no perímetro da obra.

Segundo o dono do Porto Seguro, Mário Ishiguro, foi uma maneira de agradecer pelo empenho e pela dedicação da equipe. “É uma forma, primeiro, de comemorar essa fase da obra”, disse o empresário, que já conta com asfalto na frente do empreendimento da família. “Antes tinha muita dificuldade de acesso por aqui. E mesmo com toda a dificuldade, os trabalhadores e a equipe toda sempre atenderam bem e procuraram alternativas para dar solução e diminuir os problemas para os portos e para os moradores”, explicou o empresário.

Sucos, frutas, bolos, pães, sanduíches, café. A mesa farta logo no início da manhã e a recepção carinhosa dos donos do porto surpreenderam os operários. Para Irineu, que começou o dia com o café reforçado, foi importante o reconhecimento. Segundo ele, que está há dois anos trabalhando na área, é muito bonito ver o avanço da obra e a transformação que ela traz para toda a área. Morador de Icoaraci, ele afirma que quando tudo ficar pronto fará questão de voltar para admirar o resultado do trabalho: “Quando estiver tudo pronto, eu penso em trazer a mulher para vir ver como ficou. Para quem viu como era antes e como está agora, está muito lindo”.

Para garantir a homenagem aos operários, Mário Ishiguro envolveu toda a família. A mulher e as filhas acordaram cedo para cortar, preparar os alimentos e organizar o porto para receber os operários. “É um trabalho pesado (o dos operários) e todos são muito solícitos. A obra é boa, importante e todos estão satisfeitos”, disse Roberta Ishiguro, que acordou às 5h para ajudar nos preparativos e fez questão de servir os trabalhadores com atenção e capricho. “Eu me sinto feliz em poder ajudar e contribuir para esse momento”, orgulhou-se Nazaré Mélem, mãe de Roberta.

O operário Raimundo Nonato Santos, 44 anos, foi surpreendido pelo café da manhã e gostou do tratamento. Ex-morador do bairro do Guamá, disse que encontra colegas que comentam e querem saber sobre a obra, ficam na expectativa. “É um benefício para todos nós. Já morei e me sinto feliz porque agora eles estão vendo acontecer, de uma hora para outra mudou tudo por aqui”, comentou Raimundo, que agora mora em Icoaraci, mas pretende usufruir das melhorias no Guamá.

Obras - As obras de saneamento e urbanização da avenida Bernardo Sayão foram retomadas pela atual gestão da Prefeitura de Belém em 2015, depois de um trabalho de auditoria que identificou irregularidades oriundas da gestão anterior. Para evitar o cancelamento do projeto pelo banco financiador e assegurar a obra para a população, a Prefeitura adequou o projeto para execução, que agora chega à fase final neste mês de maio. As obras envolveram um complexo trabalho de engenharia, com a construção de galerias e o fechamento do canal a céu aberto que antes existia no trecho entre José Bonifácio e Augusto Corrêa. A área também ganhou a duplicação da pista e um canteiro central urbanizado.

Para garantir a acessibilidade, foram construídos 2 mil metros de calçadas com piso tátil. A via ainda recebe um projeto de paisagismo realizado em parceria com a comunidade, que está adotando os ipês que estão sendo plantados. São duzentos ipês, 100 deles doados pelo Instituto Ideflor-Bio e outros 100 pelo Sistema Faepa/Senar (Federação da Agricultura e Pecuária do Pará e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), parceiros do projeto. As mudas, ao crescer, terão as cores rosa e lilás e serão cuidadas pelos próprios moradores e comerciantes da área, que receberam curso de capacitação e materiais também doados pela Faepa.

Comentários