Polícia Civil cumpre mandado de prisão de acusado de estupro de vulnerável em Belém

A operação Faça Bonito, iniciada no sábado, tem como objetivo de intensificar as ações de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes no estado. (Foto: Ascom Polícia Civil)

A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva por crime de estupro de vulnerável, o acriano Carlito Ramos da Costa, 39 anos. A prisão foi realizada por uma equipe de policiais civis vinculados à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV), da Polícia Civil, durante a operação Faça Bonito, iniciada no sábado, com objetivo de intensificar as ações de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes no estado.

A operação está ocorrendo em todo Brasil, em alusão ao dia 18 de maio, quando se comemora o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O preso foi localizado no bairro de Canudos, em Belém, e foi conduzido para a Delegacia Geral, onde foi montada a base da operação, para realização de depoimentos.

A delegada Ariane Melo, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente (Deaca), unidade sediada no polo Pro Paz Integrado da Santa Casa, explica que a operação visa realizar um mutirão para dar celeridade aos procedimentos policiais envolvendo esses casos, além de cumprir mandados de prisão que estejam pendentes ou prestes a serem decretados.

Participam da operação delegados, escrivães, investigadores e agentes administrativos de unidades policiais vinculadas à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis, sob coordenação da delegada Flávia Leal. A ação policial vai ser realizada todos os sábados até o próximo dia 2 de junho, das 8h às 18h.

Segundo a delegada Ariane Melo, a operação foi realizada a partir do levantamento de informações preliminares de casos de abuso sexual de crianças e adolescentes registradas em boletins de ocorrências ou relatadas por meio de denúncias anônimas, para dar andamento às apurações. "A partir do levantamento dos casos, a Polícia Civil faz a intimação de testemunhas para serem ouvidas e, por fim, o tombamento de inquéritos policiais que, posteriormente, serão encaminhados à Justiça", detalha a delegada.

A delegada Ariane Melo ressalta que, para o combate aos casos de abuso sexual e exploração sexual de crianças e adolescentes, a denúncia é fundamental. "Conversem com as crianças e adolescentes para ajudar a prevenir os crimes. Se souber de alguma notícia envolvendo esse tipo de crime, denuncie", pede a delegada.

O caso

Carlito Costa foi preso por uma equipe de policiais civis sob comando da delegada Mikaella Ferreira, da Deaca da Santa Casa. O preso foi indiciado com base no artigo 217-A do Código Penal, por estupro de vulnerável. Ele foi acusado de ter abusado sexualmente de uma menina de oito anos, em 23 de dezembro de 2016, no bairro do Guamá, em Belém. O preso era vizinho da família da criança. Três dias após o crime, ele tentou matar a facadas uma pessoa da família da vítima pelo fato de a mesma o ter denunciado à polícia.

Na ocasião, ele chegou a ser preso em flagrante e autuado por tentativa de homicídio na Seccional de Polícia do Guamá. Carlito foi julgado e sentenciado pela Justiça pelo crime de tentativa de homicídio e atualmente estava em liberdade no regime aberto com monitoramento. Em relação ao estupro da menina, ele ainda responde ao processo e teve a ordem de prisão decretada pela Justiça. O preso nega as acusações de estupro de vulnerável.

Comentários