Centro de Inteligência Forense reforça área de segurança pública

O Centro de Inteligência Forense é vinculado ao Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, e utilizará vestígios e dados coletados nos locais de crime para produzir conhecimentos (Foto: ASCOM / CPC RENATO CHAVES)

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC) já dispõe de um Centro de Inteligência Forense (CIF), criado pela Portaria nº 115/2018, publicada na segunda-feira (14), no Diário Oficial do Estado. Vinculado ao Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, o Centro se diferencia dos demais Centros de Inteligência da Segurança Pública do Estado porque utilizará vestígios e dados coletados nos locais de crime para produzir conhecimentos, que serão disponibilizados aos próprios gestores da instituição e do Sistema de Segurança.

O Centro de Perícias era uma das poucas Instituições do Sistema de Segurança que ainda não possuía um centro de inteligência. O CIF utilizará ações especializadas para produzir e salvaguardar conhecimentos oriundos das atividades periciais, nacional e estadual, da criminalística e medicina legal, a fim de identificar, avaliar e acompanhar ameaças reais ou potenciais ao Sistema de Segurança. Os dados coletados serão transformados em conhecimentos, que subsidiarão o processo decisório do CPC Renato Chaves, da Secretaria de Estado de Segurança Pública e da Governadoria.

“Somos os únicos do Sistema de Segurança a ter acesso aos dados provenientes de locais de crime e exames de corpo de delito, que são de extrema importância para a formação de conhecimentos, tanto do nível tático operacional quanto político e estratégico na Segurança Pública”, informou o perito criminal Mário Guzzo, responsável pelo Centro de Inteligência.

A partir da publicação da Portaria, o Centro de Inteligência Forense iniciou suas atividades e já está produzindo e executando as operações ligadas à inteligência, tornando-se mais um marco para a perícia paraense, que este ano contabiliza inúmeras conquistas inéditas, entre elas os intercâmbios com a polícia francesa, no fim do mês passado no Centro de Perícias, e com o FBI e a polícia de Miami, que será realizado nos Estados Unidos, em julho próximo.

Comentários