Floresta do Araguaia sedia a 25ª edição do Festival do Abacaxi

Com safra de mais de 300 milhões de frutos por ano, o município de Floresta do Araguaia, no sul do Pará, se mantém na posição de maior produtor de abacaxi do país. Segundo dados da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), apenas em 2016 foram produzidos 314 milhões de frutos, e em 2017 a produção saltou para 380 milhões.

Para promover e fortalecer a cultura do abacaxi, e também festejar junto aos produtores e toda a população esses recordes, a cidade receberá, desta quinta-feira, 17, a domingo, 20, a 25ª edição do Festival do Abacaxi, promovido pela Prefeitura com o apoio do Governo do Estado.

O evento já se consolidou como uma das maiores festas populares do sul do estado, oferecendo atrações e shows nacionais e regionais, treinamentos técnicos, jogos, show de calouros e distribuição de bolo, sorvetes, geleia e outras guloseimas feitas a partir do fruto, gerando assim emprego e renda, e levando o desenvolvimento à região. Estão envolvidas na iniciativa a Emater, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará).

Nascido em Minaçu (GO), o produtor Oséias Milhomens, de 56 anos, mudou-se para Floresta do Araguaia há cerca de 40 anos, sendo que nos últimos 30 tira o sustento de sua família do cultivo do abacaxi. “Tudo o que eu conquistei para a minha família foi a partir da lavoura do abacaxi. Foram anos de trabalho que nos fizeram crescer”, lembrou.

Para ele, o Festival do Abacaxi tem grande importância para toda a população do município. “Todos nós ganhamos com este festival: os produtores, os caminhoneiros, os balaieiros (carregadores da fruta), os comerciantes. Sem contar que as apresentações culturais, de nível nacional e regional, ajudam na movimentação turística e econômica local”, comentou.

De acordo com o chefe do escritório da Emater no município, José Richard Castro, somente no ano passado foram atendidos mais de 120 produtores de abacaxi com projetos de crédito rural, o que resultou na injeção de mais de cinco milhões de reais na economia local. “Os produtores receberam orientação da Emater em diversas etapas, como seleção de mudas, adubação, limpeza da área, controle de pragas e doenças. Também receberam orientação sobre o processo de comercialização do fruto”, explicou.

Já a Sedap disponibilizou para Floresta do Araguaia o valor de R$ 50 mil, por meio de convênio com a Prefeitura, para a realização do Festival do Abacaxi. Em janeiro deste ano, outro convênio com a administração municipal destinou outros R$ 50 mil para recuperação de 15 km de ramais para facilitar o escoamento da produção de abacaxi.

Desde 2012, a Sedap desenvolve em Floresta e Conceição do Araguaia o programa de Transferência e Difusão da Produção Integrada de Abacaxi, um sistema que reúne tecnologias de boas práticas agrícolas com redução do uso de agrotóxicos para obtenção de alimentos seguros e preservação do meio ambiente. Esse sistema permite a elevação da competitividade das empresas rurais e redução de custos por meio do aperfeiçoamento dos processos produtivos.

O programa é coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Sedap, em nível estadual. “O resultado da aplicação do programa podemos observar na melhoria da produção e na mudança de comportamento dos produtores, que passaram a ser mais conscientes em relação à qualidade dos produtos e à preservação ambiental”, disse Geraldo Tavares, gerente de Fruticultura da Sedap.

A Adepará executa as ações de levantamento fitossanitário, cadastramento de propriedades rurais, inspeções e controle de pragas em lavouras com plantio de abacaxi. Devido à cultura ter importância econômica e social, recebe atenção especial do órgão estadual, que realiza um trabalho sistemático para evitar prejuízos econômicos e assegurar a sanidade da cultura do abacaxi no Pará.

Além de Floresta do Araguaia, os municípios de Conceição do Araguaia, também no sul, e Salvaterra, no Arquipélago do Marajó, aparecem entre os maiores produtores de abacaxi no Pará. Entre as doenças que podem atacar esse cultivo está a fusariose, considerada a mais devastadora para o fruto.

A Adepará atua também na orientação aos produtores quanto à aquisição de mudas sadias, fazendo o controle e monitoramento de pragas e impedindo assim maiores prejuízos aos produtores rurais. Segundo Mauro Fadul, responsável técnico pelo Programa Fitossanitário do Abacaxi na Adepará, o Pará está aos poucos consolidando e emplacando a sua produção. "As ações fitossanitárias têm dado condições para que estes produtos cheguem cada vez mais longe. Temos que alertar o produtor sobre os cuidados com o plantio, pois essas pragas causam perda econômica. Para diminuir essas perdas, é necessário trabalhar a prevenção por meio do conhecimento técnico. Temos que focar em programas que certifiquem e mantenham o status sanitário desses produtos, dando assim condições a eles de produzirem mais e melhor", explicou.

Programação do Festival do Abacaxi

17/05 Quinta-feira

5h – Alvorada
7h – Missa do Produtor
10h – Inter escolar
20h – Abertura do Festival
21h – Show evangélico - banda Discopraise
22h – Show católico - Nando Mendes

18/05 Sexta-feira

7h30 – Evento técnico
14h – Torneio dos balaieiros
20h30 – Apresentações culturais
22h – Desfile das rainhas
23h30 – Show Carlos & Jader
1h30 – Show Tony Baladeiro e banda

19/05 – Sábado

7h – Pedal do Festival
14h – Amistoso Seleções de Floresta
17h – Carreata dos Produtores de Abacaxi
21h – Fala das autoridades
22h – Apresentações culturais
23h – Show DJ
00h – Show Amado Batista
2h30 – Show Paredão do Forró

20/05 Domingo

14h – Motocross
16h – Distribuição do bolo
18h30 – Show de calouros evangélicos
20h – Artista da terra
22h – Agradecimento das autoridades
22h30 – Show Arrochanelo
00h – Show Muriel

* Com informações das assessorias de comunicação da Emater, Sedap, Adepará e Prefeitura Municipal de Floresta do Araguaia

Comentários