XII Semana da Saúde da Uepa oferece serviços gratuitos em Belém e Acará

Cerimônia de abertura da XII Semana da Saúde da Universidade do Estado do Pará (Uepa), que contou com a presença de várias autoridades. (Foto: Nailana Thiely / Ascom Uepa)

Com o tema “Fazer saúde na Amazônia: desafios e perspectivas nas comunidades ribeirinhas”, a XII Semana da Saúde realizada pelo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) foi aberta na noite desta quarta-feira, 16. O evento ofertará serviços de saúde para toda a comunidade de forma gratuita nas dependências do Campus II, situado na Travessa Perebebuí, s/n, até esta sexta-feira, 18.

Autoridades e representantes dos parceiros da Semana compareceram à solenidade, que deu início às atividades do evento. O reitor da Uepa, Rubens Cardoso, ressaltou a importância do conjunto de entidades reunido pela organização da Semana. “Temos aqui três esferas de poder representadas: federal, estadual e municipal. Sem unir todos os segmentos da sociedade em torno deste debate é difícil sanar o problema”, opinou. Ele lembrou, ainda, a relação do evento – de caráter extensionista – com a missão da universidade. “Difundir conhecimento e formar profissionais conscientes e capazes passa exatamente por esse caminho. Conjugar na ação o querer e o poder”, disse.

Representantes das Secretarias de Estado de Saúde (Sespa) e Meio Ambiente (Semas) elogiaram a escolha do tema. “A população ribeirinha é bastante representativa no Pará e requer maior atenção tanto em saúde quanto em meio ambiente. Este é um grande tema para debate”, observou Sônia Baía, da Sespa.

Para Renato Chaves, que representou a Semas na cerimônia, o ambiente em que vivemos tem total relação com a saúde. “A preservação do meio ambiente busca a qualidade de vida das pessoas. Nos últimos dez anos tivemos muitas áreas de degradação no Pará, por isso, falar sobre os ribeirinhos é tão importante”, avaliou.

Os três braços das Forças Armadas também participam da Semana da Saúde. O capitão de Mar e Guerra Kleberval Farias, diretor do Hospital Naval de Belém, explicou que a defesa do território brasileiro não se dá apenas na vigilância de fronteiras. “Fazemos a fiscalização e, ao mesmo tempo, prestamos assistência médica, odontológica, farmacêutica e laboratorial para comunidades mais distantes. Percebemos em primeira mão a necessidade de atenção e políticas públicas que atendam os ribeirinhos”, frisou.

Os titulares das Pró-Reitorias de Extensão (Proex) e Pesquisa e Pós-graduação (Propesp) também elogiaram a atualidade do tema escolhido. “Os desafios logísticos e geográficos são inúmeros quando se fala em fazer saúde na Amazônia. Quando a Proex realiza ações de atendimento vemos in loco as dificuldades. A universidade não pode se eximir de buscar essa qualidade de vida para essas comunidades”, resumiu Alba Raithe.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, Renato Teixeira, observou ainda outros aspectos envolvidos na manutenção da saúde dos ribeirinhos. “A saúde depende da moradia, do lazer, da alimentação e de outros determinantes. A Propesp tem se esforçado para estimular pesquisa, na busca de soluções viáveis para essas questões”, citou.

A diretora do CCBS, Vera Palácios, frisou que a programação envolverá todos os campi com cursos da área de Saúde. “Quisemos dar mais autonomia aos campi, que desenvolveram sua própria programação, visando descentralizar as coisas. Marabá, Tucuruí, Altamira, Conceição do Araguaia, todos terão atividades voltadas para o ensino, como palestras e mini cursos, e para a extensão, com atendimento à comunidade”, anunciou. O evento segue até sábado, 19, quando oferecerá atendimento à comunidade Espírito Santo, no município de Acará.

Programação

O ginásio do Campus II é o local de diversos serviços. Entre eles está o estande do mestrado de Ciências Ambientais, onde alunos da disciplina Epidemiologia e Controle de Doenças Tropicais oferecerão testagem para Hepatites B e C, Sífilis e HIV. O serviço foi viabilizado pela parceria com a Sespa, Academia de Biomedicina, Liga de Enfermagem, Liga de Hepatologia, Liga de Infectologia, Esamaz e estudantes do CCBS.

Além disso, a Semana da Saúde tem a participação do Hemopa, que promove coleta de sangue aos doadores interessados. A avaliação ginecológica é outro serviço ofertado no evento. Todos eles serão feitos de forma gratuita, atendendo tanto a comunidade interna quanto externa da Uepa. As Forças Armadas e o Corpo de Bombeiros também oferecem exposições, treinamentos e cursos durante a programação.

No sábado, o evento terá seu encerramento com uma grande ação de saúde na comunidade Espírito Santo, no município de Acará. “Essa será apenas a primeira ação nessa comunidade. As visitas serão feitas de forma trimestral, para podermos realizar um acompanhamento de saúde destes ribeirinhos”, informou o presidente da comissão organizadora da Semana de Saúde, Régis Andriollo.

Para seguir práticas de sustentabilidade, a organização do evento optou por reduzir ao máximo a quantidade de material impresso, concentrando todas as informações acerca da Semana em seu website.

Comentários