Escola passa por obras de reforma e ampliação e é reinaugurada em Belém

A obra custou R$ 1.862 milhão. A escola de Ensino Fundamental atende 296 alunos de 6 a 13 anos. (Foto: Eliseu Dias / Ascom Seduc)

A Escola Estadual Mário Carneiro de Miranda, localizada no bairro da Sacramenta, em Belém, foi reinaugurada nesta terça-feira (22). Com 61 anos de fundação, a unidade foi reformada e ampliada a partir do Programa de Melhoria da Qualidade e Expansão da Cobertura da Educação Básica do Estado do Pará, que materializa o Pacto pela Educação.

A obra custou R$ 1.862 milhão. A escola de Ensino Fundamental atende 296 alunos de 6 a 13 anos. A cerimônia de reinauguração foi presidida pela secretária de Estado de Educação, Ana Claudia Serruya Hage, e reuniu, além da comunidade escolar, secretários adjuntos da Seduc e dirigentes de Unidades Seduc na Escola (Use), diretores e professores de outras escolas do bairro.

A escola tem cinco salas de aula climatizadas, sala de professores, diretoria, dispensa, sala de leitura, banheiros para professores e alunos (masculino e feminino), banheiro para Portador de Necessidades Especiais, sala de informática, uma nova cozinha, bicicletário, todos devidamente identificados, inclusive em linguagem braile para orientação aos alunos de baixa visão.

A trabalho de reforma e ampliação durou um ano e quatro meses - tempo que os alunos foram abrigados na Escola Graziela Moura Ribeiro. “Esta é a realização não de uma reconstrução da escola, mas de um sonho”, comemorou a diretora da Escola, Gilma Amoras Soares, que aproveitou o momento para agradecer o empenho de toda a Seduc para que o projeto se viabilizasse.

O gerente do Escritório de Projetos das Seduc, Paulo Machado, fez um relato sobre a execução das obras do Programa financiado ao Estado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), informando que estão em execução ou em fase de contratação 86 obras de reforma, ampliação e de novas escolas com o mesmo padrão da que foi inaugurada.

Ao fazer um histórico da implantação, destacou que, além de obras, o programa contempla projetos pedagógicos, de gestão escolar e de avaliação do ensino.  

Realização do Pacto pela Educação

A titular da Seduc, Ana Claudia, fez um apelo para que as novas instalações da Escola Mário Carneiro sejam conservadas como representação de um sentimento de pertencimento. “Precisamos contar com apoio da comunidade. Que a gente possa efetivar cada vez mais o que estamos fazendo desde 2013, que é o Pacto pela Educação”, frisou.

“É com muita alegria que a gente pode festejar esse momento em que o Governo do Estado do Pará faz voltar ao cidadão o seu imposto; com trabalho de qualidade para melhorar o nosso Ideb, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica”, complementou a secretária.

Avanços – Quem também participou da cerimônia de reabertura da escola foi Sandra Lúcia Barbosa da Silva, 61 anos, professora da “Mário Carneiro”. Ela é ex-aluna e recordou do seu tempo de estudante. “Eram três salas, tinham paredes de divisórias de compensado; quando era dia de festa, as divisórias eram removidas e virava um salão. Essa reforma entregue hoje dá condições para os alunos aprenderem e também para os professores ensinarem com maior conforto”, salientou.

A Escola desenvolve os programas Aprender Mais Ensino Fundamental e o Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic).

Outras obras – Assim que a escola foi reinaugurada, as aulas foram retomadas na instituição imediatamente. Desde março, essa foi a terceira escola devolvida à comunidade escolar depois de reformas e ampliações. Já foram entregues as escolas Ruth Guimarães, em Benevides), e José Álvares de Azevedo, em Belém.

Somando as obras financiadas pelo BID, pelo Tesouro do Estado e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a Seduc está executando mais de 100 obras, beneficiando, além da capital do Estado, os municípios de: Conceição do Araguaia, Inhangapi, Maracanã, Pau D'arco, Salinópolis, Salvaterra, Santarém Novo, São Miguel do Guamá, Uruará, Augusto Corrêa, Breves, Juruti, Medicilândia, Melgaço, Oeiras do Pará, Ponta de Pedras e Santarém.

Encontram-se em fases de acabamento as obras das seguintes escolas: Romulo Maiorana, Consuelo Coelho Souza, Gelmirez de Melo e Silva e Gregório Almeida Brito (Ananindeua); Jorge Lopes Raposo, Donatila Santana Lopes e Brasília, em Belém; Apolônia Pinheiro dos Santos (Capanema); Ana Pontes Francez (Tucuruí); Melvin Jones (Uruará); Carim Melem (Monte Alegre); Manoel Sabino (Magalhães Barata); Francisco Nobre (Monte Alegre) e Frei Constâncio (Almeirim).

Comentários