Representantes do Sintepp e Sinduepa são novamente recebidos pelo Governo

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) e Sindicato dos Docentes da Universidade do Estado do Pará (Sinduepa) foram recebidos, nesta terça-feira, 29, na Secretaria de Estado de Administração (Sead). (Foto: Carlos Sodré/Agência Pará)

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) e Sindicato dos Docentes da Universidade do Estado do Pará (Sinduepa) foram recebidos, nesta terça-feira, 29, na Secretaria de Estado de Administração (Sead), em reunião solicitada pelo próprio Sintepp para tratar sobre o piso salarial dos professores de 2018, concurso público e assuntos específicos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Participaram da reunião a secretária de Administração, Alice Viana; a secretária adjunta de Administração, Ruth Pina; e a secretaria adjunta de Gestão de Pessoas da Seduc, Dayse Ana Batista.

"Reiteramos que o Pará é um dos poucos Estados que mesmo diante da crise econômica não parcelou ou atrasou nenhum pagamento dos servidores e que a remuneração do professor em início de carreira é maior que o piso nacional da categoria. O piso hoje está fixado em R$ 2.455,35, mas no estado o salário inicial chega a R$ 3.772,69. A remuneração média de um professor com 200 horas é de RS 4.834,94 – quase o dobro do piso nacional. Esse tema é o ponto principal em discussão judicial em andamento. Esse ponto já foi amplamente discutido e explicado para o sindicato", explicou a secretária Alice Viana. 

Uma nova reunião com representantes do sindicato e a Seduc ficou agendada para amanhã, na sede da Secretaria de Educação para tratar de reformas e estrutura nas escolas, além de pautas específicas da categoria. 

Adiamento

Durante a reunião também foi repassa aos representantes dos sindicatos a informação sobre o adiamento da prova do Concurso Público C-173, que seria no dia 3 de junho, por conta da greve dos caminhoneiros, que completou oito dias e bloqueia várias estradas do país, impossibilitando candidatos de outros municípios de chegarem aos locais de prova, além do material que seria usado durante o exame.

A decisão foi tomada em conjunto pela Sead, Seduc e Consulplan (instituição organizadora). A nova data ainda será divulgada. A prova seria destinada ao provimento de cargos efetivos da Carreira de Magistério da Educação Básica da Rede Pública de Ensino.

A Sead informou ainda que 51,2% dos candidatos inscritos residem em cidades diversas daquelas onde prestarão as provas e que uma nova data para a prova será divulgada em breve.

 

Comentários