Secretários de Estado se reúnem com lideranças comunitárias afetadas pelo acidente ambiental

Lideranças comunitárias participaram nesta quinta-feira, 07, na Vila dos Cabanos, em Barcarena, de uma reunião pública com representantes do Governo do Estado. Dois secretários estaduais, de Saúde e de Meio Ambiente e Sustentabilidade, além do vice-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico (Codec) dialogaram com 125 representantes de comunidades as propostas do governo nas áreas de Saúde, Meio Ambiente e Socioeconomia para questões que envolvem o acidente ambiental da empresa mineradora Hydro, na região.

Vitor Mateus e Thales Belo, respectivamente, titulares das pastas de Saúde e Meio Ambiente, e Eduardo Klautau, da Codec, responderam à dúvidas e questionamentos dos  moradores de 18 comunidades da região: Ilha do Capim, Vila Beja, Itupanema, Ilha das Onças, São José, Laranjal, Curuperé, Acuí, Conde, Vila Nova, Bom Futuro, Renascer com Cristo, Barcarena Sede, Jardim Paraíso, Jardim São José, Bairro Industrial, Vila dos Cabanos e Aicaraú. Estavam presentes ainda representantes da Secretaria de Assistência Social (Seaster).

O encontro, intitulado “Reunião de Esclarecimento”, é o quinto promovido pelo governo com as comunidades. O objetivo é dar respostas e ouvir propostas dos moradores em torno das questões que envolvem o caso Hydro. Os comunitários lotaram um salão de eventos no centro da Vila dos Cabanos. O primeiro momento foi dedicado à exposição dos secretários e representantes. Depois, foi a vez dos debates.

“O momento é de diálogo aberto e vocês têm total liberdade e abertura nesse diálogo, contribuindo para a transparência do nosso trabalho”, disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Thales Belo. O secretário fez ainda um balanço sobre todo o processo que resultou no acidente ambiental, das multas e outras penalidades aplicadas pela Semas à mineradora e como estão as ações para que problemas semelhantes não se repitam na região.

Klautau, da Codec, explicou que a análise de realocação seguirá modelo consagrado pela ONU, que discute três possibilidades: direito de permanência na área, possibilidade de realocação mediante indenização justa ou reassentamento justo coletivo. “O Estado do Pará está realizando amplo diagnóstico socioeconômico e diálogo social, que devem ser concluídos ainda este ano”, disse o vice-presidente da Codec.

O secretário de Saúde, Vitor Mateus lembrou a atuação da Sespa logo após o registro das primeiras ocorrências no município. “Assim que ocorreram as primeiras notificações, equipes da secretaria se deslocaram até Barcarena, onde estão até hoje, de forma fixa, presente”, explicou Mateus. “Regulamos nossa presença física em Barcarena num projeto para 90 dias e agora, passado esse prazo, já renovamos nosso período de trabalho no município, onde ficaremos em ações médicas e laboratoriais em todos os segmentos, até que tenhamos a certeza de que ocorrências na área de saúde, sejam as provocadas por acidente ambiental ou por outro vetor, não prejudiquem a população”, afirmou o secretário.

“Viemos aqui em busca de respostas e soluções”, disse Nuciano do Nascimento, morador da comunidade Acuí. “Nós tivemos o acidente com o navio Aydar, no porto (de Vila do Conde), há três anos, e nunca o governo federal sentou com a gente pra explicar o que estava fazendo e como ia resolver o problema. Agora, logo depois do acidente com a Hydro, o governo do estado vem conversando, tirando dúvidas, e isso é bom”, afirmou Nuciano.

Rubeli Barros, moradora da Vila Nova, também elogiou a proposta. “É a primeira vez que venho, e olha que moro vizinha à bacia de rejeitos”, disse ela. “Estou achando bem produtivo. Tirei aqui uma série de dúvidas e já vou levar aos vizinhos o que ouvi no encontro”, disse Rubeli.

 

 

 

Comentários