Adepará promove ações educativas para prevenção e controle da raiva no Marajó

Conscientizar a população para adoção de medidas que contribuam para a prevenção e controle da raiva foi o objetivo da ação educativa realizada pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) nos municípios de Melgaço, Portel e Breves, localizados no Arquipélago do Marajó. A ação, que ocorreu no período de 4 a 8 de junho, foi voltada para estudantes, produtores, agentes comunitários de saúde e a comunidade em geral.

Foram realizadas reuniões de padronização com servidores das unidades locais da Adepará, entrevista em rádio e TV, palestras nas escolas e nas comunidades e oficina para os agentes comunitários de saúde. Ao todo, participaram das oficinas 160 agentes comunitários e mais de 250 estudantes de nível fundamental e médio.

O médico veterinário da Adepará, Clóvis Carneiro, explicou a importância da orientação sobre a raiva na região. “A população precisa ser orientada para evitar que casos humanos venham a acontecer. É importante esclarecer que onde ocorrem casos de raiva em herbívoros pessoas também podem ser mordidas por morcegos e é importante que saibam que essa mordida é extremamente grave e que devem procurar um posto de saúde”, esclareceu.

Ainda segundo Clóvis, outro ponto fundamental dessa ação é a intensificação da notificação por parte da própria comunidade. “A população que vive em comunidades mais afastadas não tem conhecimento de que precisa procurar um posto de saúde quando alguém sofrer agressão por morcego ou procurar a Adepará quando for um animal que for mordido”, acrescentou.

Para José Francisco Bruno, agente comunitário de saúde que atua na localidade de Rio Laguna, área onde foram identificados os casos da doença, a oficina esclareceu muitas dúvidas sobre a raiva. “A Adepará nos trouxe conhecimento sobre uma doença que não sabíamos os procedimentos corretos ao nos depararmos com os casos. O que aprendemos aqui vamos levar e aplicar com a comunidade, além de passar informação de forma correta a respeito de como se prevenir e ter mais cuidado”, destacou.

“É a primeira vez que estamos recebendo um treinamento que vai ser fundamental para o nosso trabalho nas comunidades da zona rural. Esse trabalho tem que ser constante, pois o vírus sempre pode voltar e a melhor maneira de não ter surto da doença é trabalhar a prevenção, por meio da informação”, ressaltou a agente comunitária de saúde do município de Breves, Filadélfia Trindade.

O agente comunitário de saúde José Barreiros agradeceu a Adepará pela ação e ressaltou a importância dos agentes como multiplicadores da informação. “Somos nós que temos contato direto com as famílias da zona rural, então é nosso papel repassar tudo o que aprendemos aqui para que as pessoas saibam reconhecer animais doentes e informar a Adepará, que atua na vigilância e prevenção. A melhor forma de prevenção da raiva é a informação e também evitar que seus animais sejam agredidos por morcegos”, afirmou.

A Adepará, por meio do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros (PECRH), trabalha no controle da ocorrência da doença em animais de interesse produtivo, tendo como objetivo reduzir a prevalência da doença na população de herbívoros. Além disso, a Agência realiza a vacinação contra raiva para pequenos produtores. Já os grandes produtores devem adquirir e fazer a vacina. A área da saúde é responsável pela vacinação de cães e gatos e no atendimento das pessoas que tiveram contato com o vírus.

As equipes da Agência são treinadas e capacitadas para atuarem frente a focos de raiva em todo o Estado. Após a ocorrência dos casos de raiva humana em Melgaço, uma equipe da Adepará está dando apoio à Sespa e Secretaria Municipal de Saúde na captura de morcegos e outra está atuando nas áreas vizinhas, com ações de vigilância e vacinações.

Comentários