Com coleta programada, Prefeitura e comunidades combatem descarte de entulho no Tapanã

Nos próximos dias, um ecoponto de recebimento de materiais recicláveis será instalado na esquina das ruas Alicante e Bolonha. (Foto: Oswaldo Forte)

Quase 25 mil moradores residem nas comunidades Canarinho, Zoé Gueiros, Bairro da Fé, Benedito Monteiro, Alameda Carmem e Conjunto Tapajós, no bairro do Tapanã. Toda semana, a Prefeitura de Belém, com equipes da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), recolhe em torno de 160 toneladas de lixo domiciliar dessas comunidades, em roteiros realizados às segundas, quartas e sextas, durante a noite.

A partir de julho, pela primeira vez, esses moradores passarão a contar com coleta de entulho realizada de forma programada em dia específico, como forma de evitar o descarte desordenado de restos de móveis, madeira, poda de árvores e limpeza de quintais. Cada morador poderá depositar até 1m³ de entulho na porta da residência para ser recolhido, uma vez por mês. Este volume é equivalente ao de uma caixa d’água de 1000 litros.

“Muita gente não obedece aos dias de coleta e contrata carroceiro pra levar o lixo e entulho. O problema é que eles (os carroceiros) não têm cuidado com esse material e descartam em qualquer lugar e até na frente da casa dos outros. Tem um terreno perto do canal que está sempre sujo com móveis velhos e restos de comida, atraindo animais de todo tipo”, reclama a aposentada Terezinha Holanda, 71 anos, moradora do Conjunto Tapajós.

“Com este novo modelo de coleta, os moradores do Conjunto Tapajós e Alameda Carmem poderão descartar o entulho na porta da residência para ser recolhido todo dia 12 do mês. Quando o dia programado cair em um domingo, a retirada acontecerá na segunda-feira seguinte”, explica o diretor da Sesan, Marcus Carvalho. “Para os moradores do Canarinho, a coleta de entulho será todo dia 16”, acrescenta.

No sábado, dia 23, uma palestra com moradores das seis comunidades envolvidas será realizada para ajustar detalhes do novo sistema de coleta e também para definição dos dias de retirada de entulho nas comunidades que ainda não estão sendo atendidas por roteiros fixos.  

“Todas essas comunidades são atendidas regularmente com retiradas de entulho dos pontos críticos de descarte. O que buscamos com esse novo modelo é oferecer uma coleta regular para que o lixo e entulho não sejam mais descartados de forma desordenada em vias e canais”, ressaltou o secretário da Sesan, Claudio Mercês.

Esta semana, as equipes de educação ambiental iniciaram um corpo-a-corpo com os moradores para informar sobre a mudança na coleta de entulho e também para convidar os moradores para a palestra do dia 23.

Nos próximos dias, um ecoponto de recebimento de materiais recicláveis será instalado na esquina das ruas Alicante e Bolonha para atender aos moradores do Conjunto Tapajós e comunidades do entorno.

“A parceria com a Prefeitura era um anseio nosso para resolver o problema do lixo. Tudo que puder ser reaproveitado será colocado no ecoponto de recicláveis. O que não tiver serventia será recolhido uma vez por mês. Além disso, vamos cobrar e atuar para que os moradores obedeçam e coloquem o lixo domiciliar apenas quando o caminhão for passar e somente na porta da residência”, destacou Cirilo de Oliveira Tavares, diretor da Associação de Moradores do Conjunto Tapajós.

Comentários