Jogo do Brasil une torcidas nos hospitais estaduais e não prejudica atendimento

O resultado de 2x0 para a Seleção Brasileira na manhã desta sexta-feira, 22, contra o time da Costa Rica, pela Copa do Mundo 2018, celebrou toda a vibração, energia positiva e integração das torcidas de colaboradores, usuários e acompanhantes do Hospital Jean Bitar (HJB), em Belém; Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragomians; Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves; Hospital Geral de Tailândia (HGT); e Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR). Nesses locais, o atendimento  foi mantido e sem prejuízo aos usuários dos serviços.

Com assistência de média e alta complexidade, no HJB o jogo passou em todos os monitores localizados nas áreas de recepção, refeitório, sala de estar dos colaboradores e sala de reunião, além corredores das clínicas. 

“Foi um momento singular e de união. Ficamos muito contentes hoje com a presença de nossos colaboradores, mas sem deixar de ter o entendimento da importância de garantir a assistência para nossos pacientes”, ressaltou o diretor executivo do Jean BItar, o administrador Giovani Merenda.

No HGT, os colaboradores, usuários e acompanhantes assistiram o jogo no auditório e área de atendimento. “O HGT entrou no clima da Copa, participando da torcida, mas os atendimentos ocorreram dentro da normalidade não havendo nenhum tipo de interrupção dos serviços aos usuários, por causa dos jogos, assegurando atendimento a todos, pois a nossa maior torcida é sempre em prol de nossos usuários”, ressaltou a diretora executiva do hospital, Rejane Xavier.

No regional de Paragominas, o jogo foi assistido através dos monitores da Recepção Central, que uniu todos os públicos. “A interação, a torcida, a animação e a energia positiva foram sensacionais”, comentou o diretor executivo da unidade, o administrador Júlio Garcia, que ressaltou ainda que o serviço de atendimento foi ininterrupto.

No Regional do Marajó a animação não foi menor. “Muita animação e torcida pelo nosso Brasil, sem deixar de dar assistência aos nossos usuários. Estaremos novamente juntos no próximo jogo”, destacou o diretor executivo do hospital, o administrador Joaquim Fonseca.

No CIIR a interação tomou conta do auditório com capacidade para mais de 100 lugares que ficou lotado. “Foi uma integração emocionante. A alegria contagiou a todos e, o melhor, o atendimento ao usuário garantido pela estratégia elaborada. Após a vitória, todos voltamos aos nossos postos mais felizes ainda”, comentou o diretor executivo, o administrador José Neto.

Comentários