Polícia Civil investiga pouso forçado de avião em rio na zona rural de Itaituba

A Polícia Civil investiga, em Itaituba, sudoeste paraense, o pouso forçado de um avião de pequeno porte, de prefixo PT IIU, realizado no rio Jamanxim, às proximidades do Distrito de Jardim de Ouro, região garimpeira do município. O fato teria ocorrido na última quarta-feira, 27, por volta de 17 horas, mas somente chegou ao conhecimento das autoridades policiais na madrugada de hoje (29), quando o boletim de ocorrência foi registrado na Seccional de Polícia de Itaituba.

O piloto da aeronave, Sérgio Vanderlei Becker, foi detido, ontem à noite, no distrito de Moraes de Almeida, em Itaituba, por uma guarnição da Polícia Militar, no momento em que chegava a localidade como passageiro de mototáxi. Ele foi inicialmente conduzido à Unidade Integrada de Polícia do distrito e depois levado para a Seccional de Polícia Civil de Itaituba, na sede do município, para prestar esclarecimentos, por volta de 23h50 de ontem. 

O fato chegou ao conhecimento do Destacamento da PM da região de Jardim de Ouro, por volta de 18 horas de ontem (28), quando pescadores foram até a Unidade da PM local perguntar se o piloto de um avião que teria caído no rio havia procurado ajuda no Posto Policial, o que não havia ocorrido. Assim, os policiais militares passaram a fazer buscas na localidade, até receberem informação de que o piloto estaria hospedado em um hotel. No local, os policiais militares foram informados de que o piloto havia acabado de sair do local, em um mototáxi, em direção ao distrito de Moraes de Almeida. A guarnição militar de Jardim de Ouro manteve contato com o Destacamento de Moraes de Almeida, que montou uma barreira na estrada até a passagem do veículo conduzindo o piloto. Questionado pelos PMs, o piloto confirmou o pouso forçado do avião e informou aos policiais o ponto no rio, onde estava a aeronave. 

Aos policiais militares, o piloto apresentou versão de que teria partido em voo desde a cidade de Guarantã do Norte, em Mato Grosso, com destino à localidade de Apuí no Amazonas, levando dois homens como passageiros, que foram identificados apenas como Turco e Polaquinho. Segundo relato do piloto aos PMs, durante a viagem, os dois homens teriam se desentendido durante uma discussão. Polaquinho, segundo o piloto, estaria armado e teria atirado em Turco que morreu na hora. Em seguida, segundo o piloto, Polaquinho teria colocado a arma sobre um assento e aberto a porta lateral para jogar o corpo de Turco para fora do avião em pleno voo. 

Neste momento, o piloto alega que, com medo de morrer também, pegou a arma e deu dois tiros em Polaquinho, que veio a falecer. Em seguida, segundo versão do piloto, ele teria se levantando e também jogado o corpo de Polaquinho para fora da aeronave. Foi neste momento que o piloto alega ter perdido controle do avião, mesmo assim conseguiu fazer o pouso forçado no rio. Ao ser revistado, o piloto portava munições ilegais em seus bolsos. Por esse motivo, ele foi autuado em flagrante pelo crime de porte ilegal de munição pelo delegado João Milhomem. 

Segundo o delegado Vicente Gomes, titular da Polícia Civil em Itaituba, policiais militares já estiveram no local onde está o avião, mas ainda não foi possível confirmar a versão do piloto, pois ainda não foi localizado qualquer corpo até o momento. "No avião, existem vestígios de sangue, porém não se sabe de quem é. Nem arma de fogo foi localizada. Apenas munição com o piloto", explica o policial civil. Para apurar os fatos, será preciso resgatar a aeronave do rio. Agentes da Polícia Federal estão na região de Jardim de Ouro auxiliando as investigações. O piloto continua prestando depoimento. 

Comentários