Principais praias de Belém estão aptas para banho, exceto Icoaraci

Ao todo, 18 praias de Belém passaram por testes de balneabilidade, realizados pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). O resultado saiu na manhã desta segunda-feira, 02, e detectou que apenas a praia do Cruzeiro, em Icoaraci, está imprópria para banho.

Praias como a Amor e Praia Grande, em Outeiro; Baia do Sol, Paraíso, Marahú, São Francisco, Murubira, Chapéu Virado, Farol, em Mosqueiro e, em Cotijuba, as praias do Vai Quem Quer, Farol e Praia do Amor foram alguns dos locais onde se coletou amostras da água para a testagem.

Com o início do veraneio no Estado, milhares de famílias buscam os balneários para o lazer, aí está a finalidade de saber sobre a qualidade da água das praias da região. De acordo com a chefe do Departamento de Monitoramento e Fiscalização da Semma, Juliany Frazão, as amostras foram colhidas nos dias 14 e 15 de junho e o resultado foi divulgado hoje, segunda-feira (02). Os testes e são feitas com base na Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) Nº 274, de 29 de novembro de 2000, que diz que uma praia é considerada imprópria para banho quando os valores estiverem acima de 2000 Escherichia coli para cada 100 mililitros de água analisada.

“A Semma se compromete em fazer este teste de balneabilidade pelo fato do uso destas praias pela população, garantindo segurança para terem sua recreação, tomar seu banho e ter seu lazer, com segurança de que a população não vai adoecer, porque existem as doenças de veiculação hídrica (amebíase, giardíase, gastroenterite, cólera, etc.), ou seja, quando aquela água está inapropriada, ela pode ser um fator de contaminação dessas doenças”, explicou Juliany.

Ainda de acordo com a chefe do Departamento de Monitoramento e Fiscalização, os fatores que contribuem para esta contaminação das águas, como a de Icoaraci, é o fato de seu entorno ser totalmente ocupado e urbanizado de forma irregular e não ordenada, onde o esgoto lança os dejetos na água. “Infelizmente este é um problema de anos, mas já aconteceu desta praia está apta para banho, em virtude das chuvas que acabaram contribuindo para a limpeza, no entanto, a população precisa contribuir para isto”, enfatizou.

Ação – Durante o mês de julho, equipes da Semma farão ações de fiscalização, orientação e educação ambiental nestes locais que passaram pelas análises, com o intuito de orientar sobre os cuidados que a população deve ter para não poluir, assim como, evitar que os banhistas façam uso do local que não passou pelo teste de balneabilidade.

Comentários