UPA da Terra Firme inicia atendimentos de urgência e emergência

A partir desta segunda-feira (02), a Prefeitura de Belém realizou a abertura da Upa da Terra Firme e a suspensão temporária da urgência e emergência do HPSM do Guamá para a reforma, ampliação e adequação do prédio (Foto: Tássia Barros - Comus)

Por volta das 4h da manhã, seu Izequias de Assis, 53 anos, começou a sentir uma intensa falta de ar. Asmático, ele tentou se cuidar em casa, no bairro de Canudos, mas não aguentou e procurou o Hospital de Pronto Socorro Humberto Maradei Pereira (Guamá), na manhã desta segunda-feira, 02 de julho. Lá, foi informado sobre o fechamento da urgência e emergência na instituição e foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (Upa) da Terra Firme.

Às 6h40, seu Izequias chegou à Upa e foi o primeiro paciente a ser atendido pela equipe que assumiu o plantão da unidade. “Sou asmático há mais de dez anos e por causa dessa doença tive que largar meu trabalho como carroceiro. Hoje, precisei de ajuda e está sendo tudo rápido”, afirmou.

O fluxo seguido pelo seu Izequias é o que a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) está implantando a partir desta segunda-feira (02), com a abertura da Upa da Terra Firme e a suspensão temporária da urgência e emergência do HPSM do Guamá para a reforma, ampliação e adequação do prédio, que deve durar cerca de dez meses, com previsão de entrega em abril de 2019 e investimento de R$ 10 milhões. A obra contemplará uma moderna arquitetura hospitalar, novos equipamentos, aumento do número de leitos (de 68 para 92) e elevação do hospital de média para alta complexidade.

“Esse fechamento foi planejado pela gestão municipal para que o atendimento da população estivesse garantido e todos os serviços da rede fossem reforçados. A partir desta segunda, todos os casos que eram direcionados para o HPSM do Guamá devem seguir para a UPA da Terra Firme”, explicou o secretário municipal de saúde, Sérgio Figueiredo.

Tanto na UPA da Terra Firme quanto no HPSM do Guamá a movimentação foi considerada tranquila durante toda a manhã, pela direção. “É um momento de adequação e fortalecimento do serviço. Tudo está transcorrendo conforme o planejado. Todos os servidores escalados para o plantão compareceram e os casos que já chegaram na Upa foram bem atendidos e assistidos. O fechamento do Guamá também foi muito tranquilo. Os dois últimos pacientes da urgência foram transferidos para atendimento especializado”, explicou a diretora do Departamento de Urgência e Emergência da Sesma, Vanessa Oliveira.

A Upa da Terra Firme é um prédio novo, construído pela gestão municipal em parceria com o governo federal, ao lado da estação de ônibus da UFPA (terceiro portão). Possui 20 leitos e capacidade de atendimento de até 500 pacientes por dia. Funciona 24h ininterruptas e atende nas especialidades de clínica médica, pediatria clínica, traumatologia e odontologia de urgência e emergência de média complexidade. “Na Upa, o atendimento é feito por classificação de risco, que prioriza os casos mais graves. É uma unidade com cobertura de uma população de 300 mil habitantes e contempla os bairros da Terra Firme, Guamá e ribeirinhos das ilhas adjacentes do rio Guamá”, destacou Vanessa.

O ribeirinho Alex dos Santos acompanhou um primo, que é apanhador de açaí e sofreu um acidente no exercício do trabalho, na manhã desta segunda-feira, em um atendimento na Upa. "Na hora do acidente, estancamos o sangue e viemos pra Belém. Não sabíamos da mudança, mas explicaram no HPSM (do Guamá) e viemos pra cá. Que bom que tem esse local novo, limpo e está tudo rápido”, comentou Alex, que é da ilha do Murucutu, às proximidades de Belém.

Além da UPA, quem precisar dos serviços de urgência e emergência pode procurar a Unidade Municipal de Saúde do Guamá, de 9h às 19h, para atendimentos de baixa complexidade, assim como as Unidades Municipais de Saúde com Urgência e Emergência (Jurunas, Marambaia, Caranduba, Baía do Sol, Outeiro, Tapanã, Benguí, Cotijuba e Icoaraci).

Há ainda atendimento nas UPAs da Sacramenta e de Icoaraci, Hospital Geral de Mosqueiro e HPSM Mario Pinotti (Umarizal). “Para retaguarda de toda essa rede, ainda temos a reforma e adequação do Hospital Samaritano em curso, que conta com 60 leitos e terá ainda um bloco cirúrgico destinado para procedimentos de baixa complexidade e outro reestruturado para funcionar como Unidade de Terapia Intensiva”, destacou o titular da Sesma.

Quando procurar:

 - BAIXA COMPLEXIDADE: UMS Guamá (7h às 19h) e as UMS Jurunas, Marambaia, Caranduba, Baía do Sol, Outeiro, Tapanã, Benguí, Cotijuba e Icoaraci (funcionam 24h)

Em que casos procurar? Crises respiratórias leves como congestão nasal, coriza, rinite, sinusite, reação alérgica crônica, prurido corporal (coceira), processos inflamatórios, ferimentos leves, quadros e sintomas gripais (tosse, coriza, mal estar, dores no corpo), náuseas, vômitos, dores em geral, glicemia, procedimentos ambulatoriais (troca de sondas, retirada de pontos, suturas), drenagem de abscesso em geral entre outros. Para curativos de qualquer espécie além dos dias da semana que contemplam todas as UMS de urgência, a UMS Benguí, Tapanã e Carananduba – realizam curativos também aos sábados e domingos pela manhã.

- MÉDIA COMPLEXIDADE: Unidade de Pronto Atendimento – UPA da Sacramenta, Icoaraci e da Terra Firme.

Em que casos procurar? Alteração de pressão arterial, febre alta (igual ou maior que 39°), processos traumáticos (quedas, entorses, torções e fraturas fechadas), dores intensas, hiperglicemia, falta de ar intensa, alterações do nível de consciência, dores no peito, sangramentos,  cortes, mordedura de animais.

-  ALTA COMPLEXIDADE: HPSM Mário Pinotti.

Em que casos procurar? Asma grave, perda da consciência, facadas, baleamentos, politraumas, AVC, crises hipertensivas de difícil controle e intoxicação exógena (veneno)

Comentários