Encontro de Enfermagem reúne hospitais públicos da Região Metropolitana

O Encontro aconteceu nesta quarta-feira (4), no auditório da Faculdade Cosmopolita, no bairro da Marambaia, e reuniu 130 profissionais da área de enfermagem dos hospitais públicos Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Estadual Galileu (HPEG) e Oncológico Infantil Octávio Lobo, além de convidados dos dez hospitais geridos pela Pró-Saúde na capital e no interior do estado do Pará. (Foto: ASCOM / HPEG)

O autor do livro 'SAE Descomplicada - Sistematização da Assistência de Enfermagem' e doutor em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP), Marcelo Chanes, foi o palestrante do III Encontro de Enfermagem dos Hospitais Públicos da Pró-Saúde na Região Metropolitana de Belém. O Encontro aconteceu nesta quarta-feira (4), no auditório da Faculdade Cosmopolita, no bairro da Marambaia, e reuniu 130 profissionais da área de enfermagem dos hospitais públicos Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Estadual Galileu (HPEG) e Oncológico Infantil Octávio Lobo, além de convidados dos dez hospitais geridos pela Pró-Saúde na capital e no interior do estado do Pará.

O tema do encontro foi “Sistematização da Assistência da Enfermagem: uma ferramenta para fortalecer a qualidade e segurança do paciente”. A diretora assistencial do Hospital Galileu, Daniela Castro, explica a escolha do tema deste ano. “A ideia foi quebrar alguns paradigmas, mostrar para a equipe assistencial que nosso processo pode ser sistematizado de uma maneira mais simples. E nos chamou a atenção o fato do Marcelo Chanes tratar a SAE de maneira descomplicada, por isso o escolhemos para estar aqui”.

Reunir os três hospitais em um mesmo encontro foi uma decisão estratégica da entidade, pois mesmo possuindo perfis diferentes de usuários, as equipes assistenciais de HMUE, HPEG e Oncológico Infantil possuem muito em comum. “Não importa se você é da enfermagem do trauma, dos queimados, ou da oncologia infantil, falar sobre esse tema vai ser importante para o seu dia a dia de trabalho”, afirmou o gerente de Enfermagem, Diego Pes, que representou a diretora assistencial do Hospital Metropolitano.

O diretor operacional da Pró-Saúde no Pará, Rogério Kuntz, que participou da abertura do evento, também reforçou a importância do conteúdo da palestra ser replicado em todas as unidades da Pró-Saúde no Pará. E recordou palavras da pioneira enfermeira britânica, Florence Nightingale. “A Enfermagem é uma arte; e para realizá-la como arte, requer uma devoção tão exclusiva, um preparo tão rigoroso, quanto a obra de qualquer pintor ou escultor”, enfatizou.

A presidente do Coren, Danielle Rocha, também participou da mesa de abertura e parabenizou a organização do encontro. “É fantástico esse evento, pois além de primar pela excelência do cuidado na instituição, dá também a oportunidade desse profissional se reciclar com o que há de melhor, de mais novo no mercado. A SAE, por exemplo, não é nova, mas ainda é uma ferramenta que está em construção em muitas instituições e é importantíssima”, frisou.

Quem participou do evento garante que motivação e técnica para continuar exercendo a enfermagem, como a arte que é, não vão faltar. “Foi muito importante trazermos a nossa equipe para vivenciar isso. O que foi tratado nessa palestra é algo que temos que levar para o nosso trabalho. A maneira como ele aborda o tema nos faz ficar fascinados em querer trabalhar com isso cada vez mais no nosso dia a dia”, afirmou a enfermeira e coordenadora de enfermagem do Hospital Galileu, Núbia Cardoso.

Sobre a palestra

Pela primeira vez em Belém, Marcelo Chanes agradeceu o envolvimento do público e o interesse pelo tema que é fundamental para que seja exercido em plenitude o papel da enfermagem, do enfermeiro e do técnico nos hospitais. Reforçando que a peça fundamental para tudo isso é o cuidado humanizado. “É importante que o paciente perceba que naquele hospital ele é atendido como pessoa e não como número”, declarou.

A diretora Assistencial do Hospital Oncológico Infantil, Josiele Pinheiro, concordou com Chanes e ressaltou que esse era um dos objetivos principais da palestra. “Reforçar com as equipes que a SAE não é só um instrumento técnico do trabalho, mas também trata sobre identificar aquilo que o paciente não fala e sistematizar o cuidado do paciente em cima da história dele e não só da patologia”, concluiu.

Comentários