Jatene repudia decisão da União sobre Ferrovia Carajás e anuncia reação

Em pronunciamento divulgado em suas redes sociais, na noite desta quarta-feira (4), o governador Simão Jatene informou que considerou “inadequado, inoportuno e, sobretudo, ilegal” a decisão do Governo Federal de exigir a construção de uma ferrovia no Centro-Oeste do país como contrapartida para a renovação da concessão da Ferrovia Carajás para a Vale. O governador informou que através da Procuradoria Geral do Estado (PGE), o Governo do Pará está “tomando as medidas judiciais cabíveis para impedir que mais essa injustiça aconteça”.

“Mais uma vez, a União está preterindo o Pará. Mais uma vez, está exigindo que o Pará contribua com o Brasil, esquecendo que o Estado só tem uma forma justa de contribuir com o Brasil, que é através do seu próprio desenvolvimento. Disso não podemos abrir mão. Não aceitamos que o Governo Federal continue achando que demonstra respeito pelo Pará trocando projetos relevantes para o Estado por nomeações e interesses particulares de seus aliados políticos locais. Isso não é prestigiar o Pará. Queremos ações concretas. Queremos uma política de recursos e não de discursos”, destacou Jatene.

"A Ferrovia de Carajás tem seu maior trecho em território paraense e só existe para exportar minérios extraídos do Pará. Se alguma compensação deve existir, e, se ela deve beneficiar os brasileiros, que sejam beneficiados primeiramente os brasileiros que nasceram ou vivem no Pará”, completou Jatene.

O governador destacou ainda que o projeto da Ferrovia Paraense, que já foi apresentado para o mercado, para a sociedade e para o próprio governo federal, tendo inclusive compromisso de carga, é absolutamente viável. “Este projeto pode, de fato, garantir o maior dinamismo da economia paraense, atraindo novos investimentos e gerando mais empregos. Queremos que esses recursos garantam a viabilidade da nossa ferrovia”, argumentou Jatene.

Veja o pronunciamento completo do governador Simão Jatene:

Comentários