Festa do aniversário de 123 anos de Mosqueiro tem música, história e bolo de seis metros

Com um bolo de seis metros de comprimento, que foi cortado em meio à execução do “Parabéns Pra Você”, pela Banda Sinfônica da Guarda Municipal de Belém (GMB), e muita alegria e emoção, o distrito de Mosqueiro celebrou, nesta sexta-feira (06), 123 anos desde que foi elevado à categoria de vila em 1895, no governo de Lauro Sodré.

A festa do aniversário da “Bucólica” foi em frente à igreja do Sagrado Coração, na praia do Chapéu Virado, em uma promoção da Prefeitura de Belém, por meio da Agência Distrital de Mosqueiro (Admos) e da Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), que levou as ações do programa Brinca Belém para as crianças.

Com uma área de aproximadamente 212 km² e localizada a 70 km de distância do centro da capital paraense, Mosqueiro é uma ilha fluvial que fica na costa oriental do rio Pará, um braço sul do rio Amazonas, em frente à baía do Marajó, e faz parte, administrativamente, do município de Belém. A ilha possui 17 km de praias de água doce, com movimento de maré, o que faz com que as ondas sejam tão altas que até surf possa ser praticado por lá.

Festa - A festa começou cedo e animada pela banda sinfônica da GMB. Claudionor Wanzeler, que já escreveu dois livros sobre Mosqueiro, falou sobre a história do local. "Sobre o nome de Mosqueiro, há duas possibilidades viáveis. A primeira é sobre o moqueio, que é uma prática de assar peixes dos indígenas que habitavam aqui anos atrás, ou sobre Dom Mosquera, um antigo morador da localidade e que era muito querido por todos”, explica.

Wanzeler explica também sobre a importância de se festejar o aniversário de Mosqueiro na praia do Chapéu Virado. “Quando Mosqueiro foi elevado à categoria de vila, esta enseada do Chapéu Virado dominava tudo às proximidades. Quando a Marinha colocou um farol de orientação na outra ponta da enseada, as casas se expandiram para aquela direção, tanto que os pescadores chamavam o lugar de ‘praia do Farol’ e essa praia passou a ser conhecida assim”, complementou.

O agente distrital de Mosqueiro, Benedito Cavallero, morador há 25 anos da ilha, fez um balanço de obras pelas quais Mosqueiro está passando desde o início de 2018. “Fico feliz de que obras tão importantes estejam sendo feitas na nossa gestão. No início deste ano, inauguramos uma base do policiamento comunitário, em parceria com a Polícia Militar do Pará. Transferimos o carnaval de lugar, da praça da Matriz para a rua do Aeroporto e isso deu mais segurança ao público, estamos terminando a obra do terminal hidroviário na Vila, além de termos as obras de contenção da erosão na orla de Mosqueiro em estado bem adiantado”, comemorou Cavallero.

Bolo - O bolo de aniversário tinha seis metros de comprimento e foi confeitado nas cores azul, branco amarelo, com muito detalhes remetendo às cores da bandeira do Brasil.

O bolo foi resultado de um curso de técnicas de confeitaria, promovido pela Agência Distrital de Mosqueiro, recentemente. Na confecção da iguaria foram usados 25 quilos de trigo, 25 de açúcar, 250 ovos, que resultaram em 24 bolos, confeitados com 11 caixas de chantilly, além de castanhas do Pará trituradas e confeitos coloridos.

A instrutora do curso, Liane Dias, e a ajudante dela, Sílvia Figueiredo, ajudaram Benedito Cavallero a cortar o bolo e foram as primeiras a ganhar uma das fatias. “Ficamos muito felizes de ministrar esse curso. Tivemos a presença de muitas pessoas, que sabemos vão dar uma boa continuidade ao que aprenderam. Passamos a noite fazendo esse bolo, mas valeu a pena”, contou Sílvia.

Quem chegou bem cedo ao local do evento foi a aposentada Izete Marçal, de 75 anos.  Munida de uma cadeira de praia, ela participou da festa, desde o início e ganhou uma das fatias do bolo de aniversário. A aposentada mora no bairro de Nazaré, em Belém, e mantém um apartamento em Mosqueiro há cinco anos.

“Cheguei ontem e nem sabia que era o aniversário de Mosqueiro. Eu amo este lugar. Conheço muitas praias fora do Pará, mas meu carinho especial é por este lugar. Venho aqui, pelo menos, três vezes ao mês, porque sou a síndica do prédio em que moramos aqui na ilha”, comentou dona Izete.  

Mosquito - Uma equipe do Controle de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) também participou da festa, com a exposição “Dos Criadores à Arte”, que consiste em retirar dos possíveis locais de acúmulo de água objetos que poderiam se tornar criadores do mosquito Aedes aegypti. Esses objetos, como garrafas de vidro, de plástico PET, latas de alumínio, restos de móveis e produtos da natureza, como cascas de árvores e outros são transformados em utilidades de decoração e brinquedos.

“Fazemos esse serviço e temos uma ótima resposta, principalmente das crianças que gostam muito do que produzimos e nos ajudam na confecção dos objetos. Vamos ficar o mês inteiro com essas ações e quem quiser as oficinas é só nos acionar que iremos ao local”, explicou Miriam Barroso, responsável pela equipe.

Policiamento - A Guarda Municipal de Belém começou também nesta sexta-feira, 6, a Operação Verão 2018, no Distrito de Mosqueiro. A ação será integrada com as forças de segurança pública do Governo do Estado, que tem o funcionamento de Centros de Comando Integrado como destaque.

Em Mosqueiro, um desses Centros de Comando Integrado está instalado no caramanchão da praia do Chapéu Virado, e conta com videomonitoramento em tempo real com cinco câmeras, instaladas na praça da Matriz, praias do Chapéu Virado, Murubira e Ariramba, e na rua Variante.

Programação - Na sexta-feira, dia 29, a partir de meio dia, começa a concentração para a Parada do Movimento LGBTI, no caramanchão do Chapéu Virado, que seguirá depois para a rua do Aeroporto.

 

 

Comentários