Ação promove diagnóstico precoce de hepatites virais

Amarelo é a cor escolhida para alertar a sociedade para o combate às hepatites virais, doenças silenciosas que causam danos ao organismos e podem levar  à morte se não forem tratadas precocemente. Para reforçar esse cuidado dezenas de pessoas passaram neste sábado, 07, pelo espaço montado no Shopping Bosque Grão-Pará para testagem gratuita de hepatites B e C e orientações de prevenção, dentro da programação do Julho Amarelo realizada pela Secretaria Municipal de Saúde de Belém. 

O aposentado Antônio Dias, 52 anos, soube  da programação da Sesma por uma emissora de rádio e saiu de Icoaraci para fazer a testagem no shopping. "Achei muito importante mesmo e aproveitei porque tenho esteatose hepática e sou  preocupado com a saúde, pois tenho um filho pequeno. Essa iniciativa é válida  porque a hepatite é uma doença muito séria e a gente tem que ter muito cuidado porque a vida é o bem maior que nós temos", disse.

De acordo com o coordenador da Referência Técnica de Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/Aids e Hepatites Virais da Sesma, Cledson Sampaio, a ação é um complemento muito importante para o trabalho que é feito diariamente dentro das unidades de saúde do município, contribuindo para que o máximo de pessoas sejam testadas e encaminhadas, em caso positivo, para tratamento.
"Muita gente tem o vírus e nem sabe ou não faz o teste por falta de tempo. Ações assim democratizam ainda mais o acesso aos serviços que são disponibilizados gratuitamente pelo SUS, promovendo um melhor conhecimento sobre a doença e a busca pelo diagnóstico precoce", destaca Cledson.

Dados do Sistema Nacional de Agravos de Notificação indicam que em 2018 já foram notificados 135 casos de hepatites em Belém, dos quais 66 foram confirmados. Em 2017 foram 221 confirmados o ano todo.  "A maior incidência é do vírus do tipo C, que é transmitido por sangue contaminado, sexo desprotegido ou compartilhamento de objetos perfuro-cortantes", alerta Cledson, que acrescenta que o tipo C tem cura. "O tratamento está disponível no Centro de Atenção às Doenças Infectocongiosas Adquiridas (Casa Dia), em Belém", completa.

Para as hepatites A e B, o coordenador lembra que a prevenção é feita pela vacinação, que  está acessível nas salas de vacina. "Temos intensificado nossas ações para que a sociedade saiba onde procurar e o que é disponibilizado pelo SUS para o combate à doença. Fechamos 2017 com mais de 18 mil testes rápidos realizados e em 2018 estamos com uma média de quase dois mil testes por mês", ressalta Cledson.

No shopping a secretária Joana Mendes, 57 anos, aproveitou o dia de passeio com as amigas para dedicar alguns minutos aos cuidados com a saúde. "Eu vi aqui e entrei porque é importante a gente saber se está bem. É a primeira vez que faço o teste e acho que isso é muito bom pra saúde da gente. Num teste desse você sabe se está doente e pode resolver logo", diz a moradora do bairro do Umarizal.

Serviço: O teste rápido para diagnóstico de hepatites B e C é realizado pela equipe de biomédicos e técnicos de enfermagem da Sesma. É feito um pequeno furo no dedo e coletada uma gota de sangue para análise. O resultado sai em 20 minutos e é entregue pela equipe de aconselhamento da secretaria. 

Quem quiser fazer os testes, pode procurar as unidades municipais de saúde ou o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), localizado na Av. Tamandaré, esquina com a São Pedro, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h. É necessário apresentar documento de identificação.

 

Comentários