Vítimas de incêndio têm incentivos para reconstruir moradias

Devido à situação grave que as famílias estão enfrentando, a Prefeitura vai disponibilizar, também, o Cheque Mão de Obra.  (Foto: Fernando Sette - Comus)

Para a dona de casa Maria de Nazaré Silva, 40 anos, voltar ao local onde a mãe morava com uma das irmãs ainda é difícil, mas ganhou um novo sentido nesta quarta-feira, 11. “A partir de hoje, a nossa história começa a ser escrita de outra maneira, a única dúvida era de que forma íamos mexer na casa, já que temos o material, mas não a mão de obra. Mas, agora, com esse programa, vai ajudar muito”, disse a dona de casa, ao receber a notícia de que a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab) disponibilizou o benefício do Programa Cheque Moradia Municipal às famílias que tiveram as casas atingidas pelo incêndio.

Assim como mãe e filha receberam a notícia do benefício municipal, outras famílias que residiam na Vila Santa Maria Gorett, no bairro do Guamá, espaço que foi atingido por um incêndio no mês de maio deste ano, receberam, também da Sehab, o anúncio do "Cheque Mão de Obra".

“O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, determinou, desde o ocorrido [incêndio], que as equipes da Prefeitura dessem total apoio às famílias que sofreram o sinistro, com isso, elas têm recebido o acompanhamento social por meio da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), Defesa Civil Municipal e Sehab”, explicou o titular da Sehab, Maikenn Souza.

Ainda segundo o secretário, devido à situação grave que as famílias estão enfrentando, a Prefeitura vai disponibilizar o valor para pagamento da mão de obra das construções. “O programa tem como finalidade auxiliar as famílias de baixa renda que foram beneficiadas com o Cheque Moradia, com o apoio da Companhia de Habitação do Pará (Cohab), e não têm condições de pagar a mão de obra para dar andamento à reforma ou construção. O valor desse benefício será depositado em conta bancária”, afirmou.

A Vila terá todo o projeto arquitetônico refeito para melhorar ventilação, acessibilidade, assim como infraestrutura adequada para as moradias. A partir deste passo, cada morador dará início à construção de sua casa. A previsão de conclusão é de dois meses.

“Em parceria com a Prefeitura, a Cohab está redefinindo este espaço para que as casas tenham melhores condições e entregando um novo projeto para cada morador. O acesso aqui é estreito, mas o local terá pavimento, fossa, e não ficará mais alagado. Então, será uma outra qualidade de vida, continuando no mesmo espaço”, declarou a presidente da Cohab, Lene Farinha.

Para o feirante Jonilson Sena, de 24 anos, que mora no local desde que nasceu, a tarde desta quarta-feira representou o recomeço. “No dia 31 de maio a gente saiu de casa e quando voltou, não tinha mais nada. Agora, a gente volta a reunir aqui, mas pra receber uma boa notícia. O sentimento de hoje é de conquista, totalmente diferente daquele outro. Graças a Deus, a entrega desse cheque está vindo pra ajudar a recomeçar. É o ponta-pé inicial”.

O programa – O "Cheque Mão de Obra" foi implantado na gestão do Prefeito Zenaldo Coutinho, através da Lei Municipal nº 9.074, em 17 de dezembro de 2014. É destinado às famílias com renda de até três salários mínimos que permanecem em suas moradias para a recuperação e/ou melhorias habitacionais em casos de insalubridade habitacional, inexistência de padrão mínimo de edificação e habitualidade, dano ou perda do imóvel por incêndio e dano ou perda de imóvel em decorrência de alagamentos e enchentes.

Para obter mais informações a respeito do Programa, o cidadão pode ir até a Secretaria Municipal de Habitação, e passar por uma entrevista com um Assistente Social. O atendimento é feito sempre de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h, na avenida Pedro Miranda, nº 2494.

Comentários