Propostas para revitalização do Mercado de São Brás começam a ser avaliadas

O Mercado de São Brás é um dos prédios que integram os projetos do programa Desenvolve Belém, coordenado pela Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem). O edital do programa foi publicado no início de junho deste ano, e contempla, ainda, o novo Espaço Palmeira, na área do Comércio; e a marina do Iate Clube, no bairro do Guamá.

O projeto para o mercado é de uma parceria com a iniciativa privada, por meio de uma concessão, proporcionando, não somente ao município, como àquele patrimônio, uma nova forma de utilização. A iniciativa visa proporcionar à população uma alternativa de negócios, além de um espaço de lazer.

“Para o mercado de São Brás, dentro do programa Desenvolve Belém, está prevista uma total revitalização daquele espaço, com ampliação e adequação para que ele se transforme no melhor mercado gastronômico do Brasil”, informa o presidente da Codem, João Cláudio Klautau.

Edital - Nesta quarta-feira, 8, foi o último dia para o recebimento de propostas ao edital, chamado de Propostas de Manifestação de Interesse (PMI). Para o mercado de São Brás, foram contabilizadas algumas propostas, que passam a ser analisadas por um Comitê Municipal de Deliberação e Acompanhamento (CMDA).

“Depois que a comissão analisar as propostas, será a escolhida a que apresentar o melhor preço. Esperamos que até o final deste ano, a empresa eleita comece a fazer as obras que são necessárias no mercado”, disse Klautau.

“Enquanto não fechamos todos os ajustes da proposta apresentada, mas que ocorrerá em breve, estamos fechando um projeto para que o mercado receba uma pintura externa geral e ganhe pequenos reparos mais urgentes, assim como a limpeza que já é feita rotineiramente no local seja mais apurada”, adiantou o presidente.

Limpeza - Uma limpeza de rotina, às imediações do mercado de São Brás, foi realizada nesta quarta, 8, e coordenada pelo diretor da Secretaria de Saneamento (Sesan), Marcus Carvalho, que disse que a última ação de limpeza geral, de grande proporção, no local, foi feita em julho deste ano.

“O nosso maior problema é mesmo com a educação das pessoas”, disse Carvalho, mostrando um osso de boi e um peixe inteiro jogados na via pública, a poucos metros de três contêineres, com capacidade de 2.100 litros, ao lado no mercado. 

“Aqui no complexo de São Brás, a coleta do lixo é feita diariamente, com varrição ocorrendo duas vezes ao dia também. Nosso maior desafio é que os feirantes respeitem os horários do recolhimento do lixo”, continua o diretor.

A coordenadora de Educação Ambiental da Sesan, Priscila Ferreira, também acompanhou o trabalho das equipes. Ela conta que graças às conversas com os feirantes, um grande ponto de descarte irregular de lixo, na praça Floriano Peixoto, que já estava sendo considerado crítico, foi eliminado. “Nosso trabalho é de muita conversa com todos, porque entendemos que jogar lixo em lugares impróprios acaba sendo um problema de educação. Então, viemos aqui e tivemos muitas conversas, fizemos orientações e conseguimos eliminar esse ponto crítico”, explicou Priscila.

O trabalho feito no Complexo do Mercado de São Brás inclui roçagem, tirar o mato da via pública e também tirar alguns vegetais que estão no telhado do mercado. O mercado recebe lavagem geral duas vezes por semana. A última foi na segunda-feira, dia 6, e na próxima sexta-feira, 10, essa ação, que é de rotina, voltará a ser feita. As ações de limpeza continuam em todos os dias da semana.

Carroceiros - Durante a limpeza, na manhã de hoje, a equipe da Sesan flagrou a ação de dois homens, chamados de ‘carroceiros’, que despejaram entulhos na via pública.

Os dois homens vieram, arrastando uma carroça carregada de restos de galhos e vegetais, pela avenida José Bonifácio. Ao dobrarem, pela lateral da praça Floriano Peixoto, em frente ao mercado de São Brás, eles viram a ação das equipes de garis da Sesan, e voltaram, imediatamente. Um deles chegou a fazer gestos obscenos à equipe. 

Os dois voltaram com a carroça pela avenida José Bonifácio, seguindo por ela, até chegar à rua Jutaí, já às proximidades da avenida Romulo Maiorana. Na esquina com a travessa Monte Cristo, mesmo diante de um grande aviso de “Não Jogue Lixo Neste Local”, colocado em um muro, os homens se livraram de todo o entulho que carregaram por mais de quatro quarteirões e fugiram do local.

Sesan - Os locais de descarte de lixo na via pública representam um custo mensal de R$ 2 milhões ao município de Belém, investidos para limpar e recolher o material descartado de forma criminosa em mais de 600 pontos clandestinos já detectados pela Sesan. São mais de R$ 24 milhões por ano que não retornam em investimentos, bens ou serviços para a população.

Quem descarta lixo em local inadequado também está sujeito a penalidades previstas no Código de Posturas do Município. Além da apreensão do veículo utilizado para descarte, estão previstas multas de pouco mais de R$ 600 para quem contrata carroceiros para despejar lixo na via pública.

Comentários