Pontos de descarte de lixo em Belém diminuem mais de 10%

Mais de 50 locais de descarte criminoso de lixo foram eliminados em 15 bairros de Belém. O levantamento realizado pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), aponta que dos mais de 500 pontos contabilizados em 2013, exatos 55 tiveram o descarte interrompido ou controlado, o que representa uma redução de aproximadamente 10%. Nos últimos 12 meses, 27 locais ficaram livres do descarte criminoso de lixo. Pelo menos outros 50 pontos estão com volume de descarte controlado e serão recuperados ainda este ano.

A presidente do Centro Comunitário do Conjunto Satélite, Janete Andrade, 44 anos, conta que foram necessários 20 anos para acabar com a presença constante de lixo na entrada do conjunto, localizado na rodovia Mário Covas, bairro do Coqueiro.

“Era tanta porcaria que jogavam dentro do terreno que o muro não suportou e acabou caindo. As pessoas utilizavam o espaço como se fosse um lixão a céu aberto. Hoje, o terreno está totalmente arborizado e sem lixo”, comemora.

No bairro da Marambaia, outro exemplo de lixão que foi transformado em área verde. A parceria entre moradores do Conjunto Euclides Figueiredo e a Prefeitura de Belém modificou um espaço que era dominado pelo lixo.

A realidade começou a mudar com as ações de educação ambiental que foram realizadas pela equipe da prefeitura, orientando os moradores a deixar o lixo na porta da casa para ser recolhido às terças, quintas e sextas, durante a noite.

“Foi uma parceria que deu certo. Muitas pessoas abraçaram a causa e começaram a colaborar com a manutenção do espaço que agora está repleto de plantas e muito mais bonito”, disse Eliane Sousa, 46 anos, empresária e presidente da Associação Comunitária do Conjunto Euclides Figueiredo.

Moradora do canal Água Cristal, também no bairro da Marambaia, a técnica de enfermagem Antônia Silva, 52 anos, ajuda a cuidar das plantas que deram lugar ao lixo que ocupava as margens do canal.

“Ninguém gosta de viver no meio do lixo e da imundice. Com a ajuda da prefeitura e o esforço dos moradores conseguimos transformar um espaço sujo em um belo jardim”, festejou.

Como parte do esforço para acabar com pontos de descarte criminoso de lixo em vias e canais, a Sesan realiza rondas de fiscalização e ações de educação ambiental para orientar moradores sobre os procedimentos de descarte de lixo. Com apoio da Guarda Municipal e Batalhão de Polícia Ambiental, aproximadamente 800 carroças foram apreendidas desde 2013. Todos os locais recuperados continuam no roteiro de fiscalização, com objetivo de evitar que estes pontos voltem a ser utilizados para descartar lixo.

“Este ano conseguimos eliminar 27 pontos de descarte, graças ao reforço da fiscalização, ações coordenadas de educação ambiental e a importante participação de moradores de áreas afetadas pelo descarte irregular”, destacou o titular da Sesan, Claudio Mercês.

Apesar de muitos bons exemplos, o número elevado de espaços públicos que continuam sendo permanentemente abastecidos com lixo e entulho representa um gasto médio de R$ 2 milhões mensais aos cofres públicos, já que é preciso investir em equipes e equipamentos para retirar o lixo das calçadas, canais e que eventualmente acabam obstruindo a rede de drenagem, causando alagamentos. Por ano, são mais de R$ 24 milhões que deixam de ser investidos em obras e melhorias para a população.

“Este valor é o gasto médio para limpar espaços de descarte irregular. Os investimentos com limpeza urbana em Belém são bem maiores, considerando a coleta do lixo domiciliar, serviços de roçagem, capinação, limpeza de valas e dragagem de canais”, explica Claudio Mercês.

O volume de lixo e entulho coletado todos os dias é de 500 toneladas. Todo  material recolhido é destinado para o aterro controlado do Aurá, que desde 2014 deixou de receber resíduos orgânicos domiciliares.

“Precisamos ter o sentimento de pertencimento da cidade. As ruas, praças e canteiros são para uso de todos e devem ser sempre preservados para o bem de toda a sociedade”, declarou o secretário da Sesan.

Pontos críticos eliminados nos últimos 12 meses:

01 – Travessa De Breves com Rua Triunvirato.   (Cidade Velha)

02 - Travessa 14 de abril com Rua Domingos Marreiros. (Fátima)

03 - Rua dos Caripunas com Travessa dos Apinagés. (Jurunas)

04 - Rua dos Tamoios com Travessa Monte Alegre. (Jurunas)

05 - Rua dos Mundurucus entre Travessa Monte Alegre e Travessa Bom Jardim. (Jurunas)

06 – Travessa Tupinambás com Rua Fernando Guilhon. (Jurunas)

07 - Rua Silva Castro entre Travessa Barão de Mamoré e Avenida José Bonifácio.   (Guamá)

08 – Travessa Dom Romualdo de Seixas entre Avenida Marechal Hermes e Avenida Pedro Álvares Cabral.  (Umarizal)

09 – Travessa Dom Romualdo de Seixas com Rua Domingos Marreiros. (Umarizal)

10 - Rua Diogo Móia entre Avenida Alcindo Cacela e Travessa 9 de janeiro.    (Fátima)

11 - Rua Diogo Móia com Travessa 3 de Maio. (Fátima)

12 - Rua Diogo Móia com Travessa Antônio Baena. (Fátima)

13 - Avenida Perimetral com Rua São Domingos. (Terra-Firme)

14 - Pórtico do Paraíso dos Pássaros.   (Val-de-Cans)

15 - Entrada do Conjunto Satélite. (Coqueiro)

16 - Estrada do Yamada em frente à República do Emaús.  (Bengui)

17 - Canal Água Cristal entre Passagem Samaritana e Rua Anchieta. (Marambia)

18 – Passagem Ailton Rosado - Conjunto Euclides Figueiredo. (Marambaia)

19 - Viela Coronel Artur – Conjunto Euclides Figueiredo. (Marambaia)

20 - Rua da mata - Calçada do Cemitério São Jorge. (Marambaia)

21 – Rua da Mata - Final da via. (Marambaia)

22 - Alferes Costa entre Rua Nova e Senador Lemos. (Sacramenta)

23 - Alferes Costa com Canal da Pirajá.  (Pedreira)

24 - Canteiro da Avenida Visconde de Inhaúma com Travessa Perebebuí.  (Pedreira)

25 - Estrada do Bagé. (Bengui)

26 - Travessa Perebebuí com Passagem F.  (Sacramenta)

27 – Canteiro da Avenida Pedro Miranda, entre Travessa Estrela e Travessa Mauriti.

Comentários