Exposição valoriza trabalho de fotojornalistas da Prefeitura de Belém

A mostra fotográfica “Imagens de Fé” composta pelo acervo de quatro fotojornalistas da Coordenadoria de Comunicação Social (Comus), da Prefeitura de Belém, durante as procissões do Círio de Nazaré, foi aberta oficialmente nesta sexta-feira, 05, no Museu de Arte de Belém (Mabe), no Palácio Antonio Lemos.

As 40 imagens dos profissionais Alessandra Serrão, Fernando Sette, Oswaldo Forte e Tássia Barros, estão em exposição no museu que segue com a programação aberta ao público de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, até o dia 30 de novembro.

“Bem mais que o registro do dia-a-dia que estes profissionais se dedicam a fazer no exercício da sua profissão, a gente viabilizou esta exposição para mostrar o olhar de cada um, em um momento tão especial como é o Círio”, afirmou a Coordenadora de Comunicação da Prefeitura de Belém, Fabiana Cabral.

Um dos fatos marcantes desta exposição foi a solicitação da coordenação do Mabe, para somar as fotos, ao acervo do museu, que é composto por grandes obras, de diferentes artistas. “Para mim é uma verdadeira honra, porque sou apaixonado por esse museu, pelo Palácio e pelo Círio. E, expor minhas imagens neste local já foi um privilégio importantíssimo”, declarou Oswaldo Forte, que há três décadas registra a festividade.

E para a fotógrafa Alessandra Serrão, o sentimento foi o mesmo, porém, com um “plus” a mais. “Em dez anos de carreira, esta foi a primeira vez que tive a oportunidade de expor meu trabalho, e, sendo no Museu de Belém, é a realização de um sonho”, comenta.

Expressões – O Círio de Nazaré, festejado sempre no segundo domingo do mês de outubro, é considerada a maior festa religiosa do país, que reúne milhares de pessoas nas ruas do centro de Belém, para acompanhar a procissão. O “mar de gente” como é popularmente chamado este momento, ganhou o olhar especial, de diferentes ângulos e diferentes momentos, destes fotógrafos da Comus. São cores, expressões, momentos, todos cuidadosamente fotografados e eternizados por meio de uma lente.

Mas, se o Círio é registrado por tantos, como capturar momentos tão especiais, mesmo que singulares, diferentes? Tássia explicou que o sentimento que cada um sente na hora do click, é o que faz a diferença. “A gente transmite o que sente e captura aquilo. Minha foto mais especial desta exposição é justamente o esforço e sofrimento de um rapaz no meio da multidão que seguia na corda. Eu me vi nele. Aguardei o momento certo e fotografei”, revelou.

Sette também coleciona momentos especiais, também registrado e exposto na mostra. “Uma máquina que havia dado defeito, não pegava o foco de verdade, quando a imagem da Santa veio, durante a procissão da trasladação, eu comecei a registrar por tentativa, depois conferi o que tinha feito e todas as fotos ficaram perfeitas. Desde lá a máquina funcionou, como um verdadeiro milagre do Círio”.

O Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, prestigiou a abertura da exposição, e se disse encantado com as imagens. “Não é surpresa que vocês tenham fotos espetaculares, mas a ideia de expô-las no museu nos permitiu valorizar profissionais que estão conosco no dia a dia, e, às vezes, acaba não registrando na história. Acho que fica também o estímulo para outros projetos surgirem. Precisamos pegar os talentos da nossa cidade, como vocês, para criar projetos assim, independente da fotografia”.

Para a arquiteta Ana Isabel Santos, 27 anos, a exposição é uma valorização da cultura local e mais uma grande oportunidade para visitar com os parentes que estão vindo para o Círio. “Sem dúvida será um local para entrar no roteiro de visitas da família, porque esses fotógrafos fizeram registros maravilhosos e conseguiram mostrar o que é a nossa festividade. Fiquei encantada, eles estão de parabéns”, concluiu a jovem.

Comentários