Semec celebra 50 anos e as conquistas do crescimento do ensino fundamental em Belém

A professora Márcia Raiol acorda muito cedo para encarar mais um dia de trabalho. Ela é diretora da escola Maria Clemildes, anexa à escola Bacabal, localizada na comunidade Caruaru, no distrito de Mosqueiro. Márcia deixa seu carro no Porto do Pelé, e embarca junto com alunos, em direção à escola, pelo rio, onde chega em 40 minutos.

Márcia é professora na Secretaria Municipal de Educação (Semec) há 20 anos, morava em Belém, e há um ano aceitou o desafio de coordenar a Maria Clemildes, a primeira escola rural do município. Ela e vários diretores e professores de escolas municipais participaram, na manhã desta terça-feira, 9, das comemorações pelos 50 anos de criação da Semec. O evento foi realizado na sede da entidade, no bairro de Nazaré, em Belém.

A diretora se diz muito feliz com a atual atividade. “Eu estava em uma tarefa tranquila, que não me exigia muitos esforços. Fui convidada para dirigir essa escola, que tem características muito especiais, e aceitei. O contato com os alunos já começa no barco que nos transporta para escola e isso é muito importante. Os alunos são crianças muito especiais, já que têm e demonstram muito carinho por todos. E ver o sorriso deles é bastante recompensador”, revela Márcia.

Junto com Márcia, representando a escola Maria Clemildes, participaram da festa, a professora Elizângela Almeida e a aluna Patrícia Travassos. Elizângela é moradora de Mosqueiro e trabalha em escolas do sistema de ensino do município desde 1996. Praticamente, já ministrou aulas para educação infantil em quase todas as escolas localizadas no distrito de Mosqueiro.

Elizângela afirma que dar aulas em uma escola da região rural não é diferente das escolas da zona urbana. “Seguimos exatamente o mesmo programa e as mesmas orientações que nos são repassadas pela Semec. O que muda é a forma como as crianças nos recebem, que é mais próxima e acolhedora. São estudantes bem mais receptivos, acredito. E isso nos dá uma grande alegria, porque sabemos que é muito sincero da parte deles”, comparou a professora.

Semec - Em 1964, foi criada a Fundação de Educação e Cultura do Município de Belém. Quatro anos depois, em 1968, os dois segmentos seguiram em entidades próprias, surgindo assim a Secretaria Municipal de Educação, pela Lei 6.558, no governo do prefeito Stélio Maroja, em 9 de outubro daquele ano.

Quando começou, a secretaria contava apenas com 24 escolas. Atualmente, esse número chega a 199 centros educacionais, contemplando os oito distritos administrativos de Belém, que englobam também Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro e a região as ilhas.

São 68.900 alunos da educação infantil, fundamental, de jovens adultos, indígena e especial, sendo que, apenas nesta, são 1.771 alunos, atendidos em 84 espaços multidisciplinares.

Ao todo, são 996 salas de aula, que atendem a 2.578 turmas. O esporte é contemplado em 74 quadras poliesportivas, sendo que dessas, 67 são cobertas. A secretaria também dispõe de 62 laboratórios de informática, 74 bibliotecas e 82 pequenas bibliotecas dentro do projeto Baú de Histórias.

São, ao todo, cerca de sete mil servidores na secretaria. E a educação infantil do município, por suas características peculiares, conta ainda com 42 ônibus e quatro lanchas para o transporte dos alunos até às escolas.

Para a professora Berenice Dias e Dias, de 70 anos, com 45 anos de magistério na secretaria e ainda em atividade, ver o crescimento da Semec é motivo de orgulho. “Trabalhei em quatro escolas da rede municipal, fui professora de várias disciplinas, até de técnicas agrícolas, e fico feliz em ver o crescimento da secretaria e do ensino do município, que eu acho que é resultado de um acompanhamento muito próximo que temos da Semec. Isso, aliado à presença dos pais na escola, tem ajudado a melhorar o ensino”, avaliou.

Festa - A comemoração do aniversário de 50 anos da Semec começou com o hasteamento das bandeiras do Brasil, do Pará e do município de Belém. A sede da Semec, que foi inaugurada em 1992, no bairro de Nazaré, estava decorada com estandartes das escolas municipais, que são confeccionados pelos alunos e professores, em atividades de Educação Artística.  

A festividade continuou com um culto ecumênico e, sem seguida, algumas pessoas foram homenageadas com medalhas de reconhecimento, como o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho; o professor Francisco Guzzo, o mais antigo secretário da Semec, ainda vivo, que foi representado na cerimônia pela esposa dele, Telma Guzzo; Elias Barbosa, o mais antigo servidor da Semec, com 41 anos de atuação na secretaria; a aluna Valéria Silva, da escola Comandante Klautau; e Verônica Pompeu, diretora da escola Sílvio Leandro, que teve a pontuação 6.8 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) 2016, sendo a maior de Belém.

O prefeito Zenaldo Coutinho ressaltou a conquista da educação infantil do município de Belém, que apontou que a capital paraense está em 3º lugar entre as capitais que mais melhoraram a educação básica nos últimos anos, registrando um crescimento de 0.5 no IDEB.

“Essa conquista no IDEB é fruto de uma forte formação técnica de nossos professores, mas nada disso adiantaria se esses mestres não se dispusessem a fazer o trabalho deles com dedicação, e, acima de tudo, amor. A educação é a maior ferramenta de transformação, e sabemos que a prática do ensino no dia a dia não é das mais fáceis. Por isso, a nossa intenção como gestor deste município é melhorar ainda mais a escola pública e assim, melhorar o futuro de nossas crianças”, destacou.

A titular da Semec, Socorro Aquino, enfatizou a dedicação com que os servidores da secretaria empegaram para o sucesso da festa de comemoração. “Cada enfeite, cada balão, os bolos, os lanches, cada detalhe desta festa teve a participação de nossos servidores. É esse empenho que percebemos que eles empregam na construção do conhecimento de nossos alunos. É realmente uma grande recompensa contar com essa grande equipe”, elogiou a secretária.

Comentários