Programa Melhor em Casa inicia capacitação de novas equipes

Como forma de ampliar e qualificar o atendimento prestado às pessoas que necessitam de cuidados de saúde mais intensivos, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), deu início à capacitação de novas equipes do Programa Melhor em Casa, durante a última terça-feira, 04, em Belém. O evento ocorreu na Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra).

Com abordagens diferenciadas, o serviço tem como vantagens oferecer cuidados ao paciente em casa, melhorando assim, a gestão dos leitos hospitalares e o uso dos recursos, e diminuindo a superlotação de serviços de urgência e emergência.

Pacientes que precisam de outros recursos de saúde e demandam maior frequência de cuidados também podem ser assistidos pelo Melhor em Casa. “O programa melhora o sistema, que tem necessitado demais da internação hospitalar, devido às doenças crônicas e complicações em saúde. O Melhor em Casa leva tratamento e acompanhamento em domicilio aos pacientes, através de equipes multiprofissionais”, afirma Karen Tavares, coordenadora do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Sesma.

Guilherme Moura, coordenador do Programa Melhor em Casa da Secretaria de Estado da Saúde do Pará (Sespa), também ressalta as vantagens do programa. “Diminui o tempo de internação hospitalar e o risco de infecção, racionaliza o gasto de saúde pública otimizando a qualidade do serviço e proporciona maior dignidade ao paciente”.

Para o secretário municipal de Saúde, Sérgio Figueiredo, a capital vai poder desospitalizar mais pacientes que antes faziam tratamento e se recuperavam em hospitais, ocupando leitos que, muitas vezes, poderiam estar servindo a outros pacientes. “O paciente de longa permanência nós conseguimos tratar em casa com uma equipe multiprofissional que oferece toda assistência e capacita a família, que também tem grande participação na recuperação do paciente”.

“Essa oportunidade me abriu os olhos para uma nova vertente na minha profissão, que é fisioterapia. É uma possibilidade de novos conhecimentos, pois não conhecia o programa. Chamou a minha atenção por, até então, eu ter trabalhado apenas na parte hospitalar e, sair dessa vertente, e passar a conviver diretamente com o paciente e com a família dele, não tem preço”, comenta Luiz Euclides, fisioterapeuta e também um dos novos membros do Programa.

O acesso ao SAD é feito no hospital em que o usuário estiver internado ou por solicitação da equipe de Saúde da Família/Atenção Básica ou da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). É composto por diversos profissionais da saúde como, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem, psicólogos, nutricionista, farmacêuticos, fonoaudiólogos e assistentes sociais.

Ampliação - Em processo de ampliação, o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD), por meio do programa Melhor em Casa, contará, em breve, com nove equipes, que irão cobrir quase todo o município, levando atendimento domiciliar aos pacientes.

Comentários