Segup entrega doações a ribeirinhos de ilha próxima à Belém

Alimentos não perecíveis, roupas, calçados, brinquedos e livros foram entregues a moradores ribeirinhos pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por meio do Grupamento Fluvial (Gflu), e apoio do movimento de voluntários denominado Grupo de Coração. A entrega aconteceu na manhã desta sexta-feira, 4, partindo da sede do Grupamento até a ilha Urubuoca, localizada na frente do Distrito de Icoaraci.

Cerca de 25 famílias se beneficiaram com a ação. Todas elas possuem crianças ou jovens inseridos no projeto social Ribeirinho da Paz, promovido há oito anos pelo Gflu em parceria com a Companhia Fluvial. Todos os integrantes do projeto participam de ações de inclusão social e esportivas, com aulas de jiu-jitsu, sendo muito deles campeões de torneios nacionais. Um dos critérios de participação no projeto é a frequência e o rendimento escolar. Vinte e oito dos 37 estudantes do anexo Urubuoca, que tem como sede a Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Marta da Conceição estão inseridos no projeto social.

De acordo com o diretor do Gflu, Dilermando Dantas, por meio da iniciativa foi possível construir uma cultura de paz na ilha e criar uma boa relação entre os órgãos de segurança e a comunidade local.

“Nós vemos hoje os adolescentes que chegaram ainda crianças no projeto e isso é muito gratificante, saber que estamos ajudando a ter cidadãos de bem na sociedade. Na ilha Urubuoca e adjacências não têm quase ocorrências de roubos, porque a comunidade é parceira, confia e tem a credibilidade de que a segurança pública dá uma resposta positiva em combate ao crime, quando se faz necessário”, enfatizou Dantas.

Objetos que foram compartilhados são recebidos com felicidade, emoção e se tornam muitas vezes tudo para aqueles que pouco têm. “Ganhei uma pista de automóveis, um carrinho, roupas e mais uma cesta básica. O meu sonho é ser policial para combater o mal. E eu vou ser”, disse Arielson dos Santos, de 12 anos.

Para os pais, as contribuições vão além do material recebido. O projeto ensina e educa para que as crianças possam se tornar adultos responsáveis e cientes do que é correto e errado.

“Não só melhora a nota dos alunos que fazem atividades físicas, mas também em casa é possível observar mudanças. É o terceiro ano que a minha filha participa e é um projeto maravilhoso que atende a gente que mora aqui na ilha. Nos só temos a agradecer”, afirmou Jaqueline Franco.

Representando o projeto, Daniela Mourya ressalta a importância da integração com o órgão de segurança. “O projeto ajuda os que mais precisam, sejam em abrigos, pessoas em situação de risco, por exemplo. O que nós queremos é dar oportunidades, dar visão, para que eles saibam que podem ser o que quiserem. Se quiser ser pescador, que seja o melhor, se quiser ser médico, é possível também. Queremos que eles saibam que não é preciso repetir a história de vida dos pais, que saibam dizer não para as drogas e para a prostituição”, concluiu.

A ação desta sexta-feira é a etapa final de uma vasta programação que ocorreu em dezembro com a entrega de brinquedos, cestas básicas e lanches, por exemplo, feita pelo Papai Noel.

Comentários