Ex-secretário de Segurança do Rio dialoga com o Governo do Pará sobre experiência de pacificação

“Uma política pública sozinha não resolve a questão da segurança em lugar nenhum. Não adianta a polícia entrar, e o Estado não ir junto”. Essa foi a síntese da fala do delegado federal José Beltrame, ex-secretário de segurança pública do Rio de Janeiro, em diálogo na tarde desta quinta-feira, (10) com o governador Helder Barbalho e toda a cúpula da segurança pública do Pará, durante reunião no palácio do governo.

Na conversa, Beltrame contou sobre sua experiência no Rio de Janeiro, onde foi um dos idealizadores do projeto Unidade de Polícia Pacificadora, as UPPs, aplicadas naquele estado, e cujos resultados foram muito mais significativos nos locais onde houve a integração das demais áreas do Estado. “Em uma comunidade carente de tudo, o policial é a representação do Estado. Se ele tiver sozinho, até a falta de água é comunicada a ele. Por isso não é possível construir um território de paz sem as demais políticas públicas serem feitas com eficiência para que os resultados sejam duradouros”, destacou.

O governador Helder Barbalho disse que fez questão de participar de toda a conversa porque a segurança é hoje o maior clamor da população paraense e por isso é a sua principal agenda de governo. “Nosso primeiro ato foi ter a humildade de pedir a Força Nacional, acho que é papel do governante deixar a vaidade de lado e fazer o que é melhor para a população. Fico feliz de que tudo que ouvimos aqui ter reforçado o que estamos trabalhando, de transversalidade entre as áreas do governo para que tenhamos a presença do Estado na vida da comunidade e com isso resultados efetivos na segurança pública”, destacou o governador.

 Além do governador Helder Barbalho, participaram da conversa o secretário de segurança pública do Pará, Ualame Machado, juntamente com o comandante geral da Polícia Militar, Dilson Júnior; o diretor do Ciop, Cel Rayol Oliveira; o secretário do sistema penitenciário, Jarbas Vasconcelos; o delegado geral da Polícia Civil, Alberto Barros; os corregedores das polícias e pessoal das áreas técnicas do sistema de segurança pública.

Experiências - José Beltrame conversou e tirou dúvidas sobre as suas principais experiências no Rio de Janeiro. Ele foi um dos principais articuladores da operação de tomada das favelas da Vila Cruzeiro e da invasão do Complexo do Alemão no Rio de Janeiro, em 2007. Nesta operação foi realizada a apreensão de mais de 42 toneladas de maconha, 330 kg de cocaína, crack, armamentos pesados, grande quantidade de munições, carros e motos, além da desarticulação no tráfico de drogas com a prisão de diversos chefes do narcotráfico.

Comentários