Comemorações dos 403 anos de Belém se encerram com atividades no Bosque

Quando o pequeno Arthur Evangelista, de 6 anos, chegar à idade adulta, certamente ainda terá bons motivos para visitar o Bosque Rodrigues Alves. Isso porque neste domingo, 20, ele viveu uma experiência que marcará a vida dele para sempre. “Plantei pela primeira vez uma muda de árvore. Estoumuito feliz porque antes só regava as plantas da minha avó. E eu vou vir aqui sempre ver ela”, contou o menino.

Assim como Arthur, outras crianças também tiveram a oportunidade de viver a experiência do plantio de mudas e também de conhecer mais sobre meio ambiente aprendendo sobre aves de rapina e participado de atividades de reciclagem do lixo e de pintura durante a programação especial que encerrou os festejos pelos 403 anos de Belém, celebrado no último dia 12 de janeiro.

“Foram duas semanas de programações com a finalidade de levar a conscientização ambiental e também de orientar os visitantes sobre os cuidados com os animais. Aqui as pessoas puderam conhecer um pouco mais sobre o Bosque, a importância dele para a cidade e o que sua preservação representa na vida de cada um”, explicou a técnica em Meio Ambiente do Bosque Ana Paula Duarte.

Equipes do Instituto Alanchaster levaram atividades voltadas ao descarte adequado de resíduos. “Participar deste momento para a cidade foi muito importante porque é um local de grande circulação e de muita natureza, onde as pessoas conseguem se conscientizar sobre o tema da preservação ambiental e do cuidado com a cidade. É sempre valoroso fomentar este assunto”, declarou a presidente do Instituto, Soraya Costa.

O Bosque Rodrigues Alves tem 135 anos de existência e é um dos espaços de preservação ambiental administrados pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). O local é uma boa opção de lazer e contato com a natureza, devido à concentração diversificada de animais e plantas.

Comentários