Articulação

Reunião da bancada paraense define apoio a projetos essenciais para o Estado

O primeiro colégio militar do Pará terá o apoio da bancada de deputados federais e senadores do Estado. A decisão foi tomada na reunião da bancada realizada nesta quarta-feira, 7, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Em fase final de implantação, para garantir o início das atividades em janeiro de 2016, o Colégio Militar de Belém recebeu o apoio do governo do Pará, que em agosto deste ano assinou um protocolo de intenções formalizando a instalação da instituição de ensino. O governo também já havia repassado ao colégio cerca de R$ 2 milhões para a compra de equipamentos, além de ceder o prédio centenário que abrigava a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), na avenida Almirante Barroso. Esta, por sua vez, passará a funcionar nas instalações do Centro Integrado de Governo (CIG), na Avenida Nazaré.

O Colégio Militar já está com as inscrições abertas e será inaugurada oficialmente no dia 12 de janeiro, quando a capital paraense comemora 400 anos de fundação. No Pará, o Exército Brasileiro irá atender, inicialmente, cerca de 1.500 alunos. A partir de 2017, está previsto um aumento no número de vagas. Na reunião de hoje, deputados e senadores eleitos pelo Pará garantiram que irão estudar a inclusão de mais apoio financeiro ao colégio nas emendas parlamentares da bancada paraense.

Dois senadores e seis deputados federais participaram da reunião: os senadores Flexa Ribeiro (PSDB/PA) e Paulo Rocha (PT/PA) e os deputados federais Hélio Leite (DEM), Eder Mauro (PSD), Lúcio Vale (PR), Josué Bengtson (PTB), Beto Salame (PROS) e Chapadinha (PSD). Os parlamentares também receberam pedidos para inclusão de emendas da Universidade do Estado do Pará, Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região e Tribunal Regional Eleitoral.

A UEPA quer apoio financeiro para a melhoria da infraestrutura de seus campi no interior e para a compra de equipamentos. A CONAB quer recuperar e ampliar seus armazéns no Estado. O Tribunal Regional do Trabalho busca auxilio para recuperar e ocupar o antigo prédio da Receita Federal em Belém, parcialmente destruído por um incêndio há três anos, e o Regional do Trabalho quer estender o uso da biometria nas eleições a regiões remotas do Estado, principalmente no Arquipélago do Marajó e região do Xingu.

Reunião em Belém

Uma reunião na manhã desta quinta-feira, 8, vai debater alguns desses pedidos e emendas já discutidas pelos parlamentares. Em Belém, na sede da Secretaria de Planejamento (Seplan), o governador Simão Jatene, secretários de Estado e técnicos do governo vão analisar as emendas já existentes e propor outras. De acordo com Ophir Cavalcante Jr., coordenador do Núcleo de Representação do Pará no Distrito Federal, que representou o governador Simão Jatene na reunião de Brasília, governo do Estado e bancada paraense no Congresso estão unidos pelo crescimento do Pará e os encontros quase simultâneos para debater emendas que favorecem a população paraense são o maior exemplo disso. "Estamos construindo, governo e parlamentares, propostas que têm como único objetivo o desenvolvimento do Pará e seu povo, num exemplo de união e respeito pelo Estado", disse Ophir.

Tags

Educação Política

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder