Emprego e renda

Circuito do Artesanato do Pará termina com quase R$ 70 mil em vendas

O artesanato paraense termina o ano em alta. Além do sucesso de visita e comercialização de produtos nas três edições do Circuito do Artesanato do Pará, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), comemora a abrangência das políticas públicas voltadas para esses profissionais a partir do cadastro de novos artesãos e também da divulgação da atividade nessas regiões.

O número de novos profissionais nos registros da Seaster saltou de 2,5 mil para quase três mil artesãos. “Sabemos, no entanto, que há muito mais profissionais sobrevivendo ou complementando a renda a partir da atividade artesanal”, diz o titular da Seaster, Heitor Pinheiro, justificando os motivos que levam a secretaria a manter o plano de cadastramento aberto durante todo o ano, independentemente de eventos.

A terceira e maior etapa do Circuito do Artesanato do Pará, em Belém, terminou no último domingo (13). A estrutura montada na Praça da Bandeira, centro da cidade, reuniu 512 artesãos de forma direta e indireta de diferentes regiões e municípios do Estado. Durante cinco dias de exposição, cerca de dez mil pessoas passaram pelo local, que também teve apresentações de dança e música, além de praça de alimentação. Foram quase R$ 70 mil comercializados em produtos e 208 artesãos qualificados.

"Consideramos que as etapas do circuito nos três municípios foram um sucesso. O evento possibilitou aos visitantes um espaço de socialização, valorização e integração de diversas expressões da cultura amazônica, representada por meio dos trabalhos dos artesãos paraenses. Além disso, conseguimos a participação de um grande público, e o número de vendas foi muito além do que esperávamos”, avaliou Heitor Pinheiro.

Antes de Belém, o evento passou por Castanhal, no nordeste do Estado, e Santarém, no oeste paraense. Nas duas oportunidades, a Seaster também fez cadastramento de novos artesãos, qualificação da mão de obra e oficinas ministradas por técnicos do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para aprimorar metodologias de exposição e comercialização de produtos.

Hetor Pinheiro também garantiu que os eventos e exposições voltados para a divulgação da mão de obra artesã do Estado terão continuidade em 2016, quando novos municípios serão visitados. O Circuito do Artesanato do Pará foi promovido pela Seaster. Na etapa de Belém, o evento teve a parceria da Prefeitura de Belém, Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), secretarias Extraordinária de Integração de Políticas Sociais, de Turismo (Setur) e Educação (Seduc), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Fundação Pro Paz, Polícia Militar, Grupo da 3ª Idade Zóe Gueiros, Guarda Municipal, Fundação Carlos Gomes, Fundação Pestaslozzi, Empresa AGM, Banda Compec e grupo Os Pindoramas de Marapanim.

Tags

Economia Emprego e renda SEASTER

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder