Oportunidade

Apoiados pela Prefeitura, catadores garantem renda com produtos retirados do lixo

A catadora Zoneide Silva passou 16 anos trabalhando no Aurá e comemora as boas condições de trabalho atuais: “A gente tinha que conviver no meio do lixo, com um fedor insuportável e junto com urubus. Hoje está muito mudado, porque a gente faz a coleta na porta da casa das pessoas que já entregam tudo separado”.

Depois de trabalhar 16 anos coletando recicláveis no lixão do Aurá, a catadora Zoneide Silva, 56, não esconde a satisfação de continuar atuando na coleta seletiva, porém em condições mais dignas.

“A gente tinha que conviver no meio do lixo, com um fedor insuportável e junto com urubus. Hoje está muito mudado, porque a gente faz a coleta na porta da casa das pessoas que já entregam tudo separado”, comemora a catadora, que faz parte de uma das onze cooperativas de catadores que recebem apoio da Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan).

Por mês, essas cooperativas coletam mais de 270 toneladas de produtos recicláveis. Nos últimos seis anos, o volume de produtos coletados aumentou significativamente, já que além da coleta na porta da casa dos moradores a retirada passou a ser feita também em supermercados, lojas, grandes geradores e edifícios.

No bairro de Nazaré, o zelador Luciano Ramos, 27, é responsável pelo recolhimento do lixo produzido pelos moradores de um edifício com 28 apartamentos. “Cada morador foi orientado a separar o lixo orgânico que chamamos de lixo úmido do lixo seco que pode ser reciclado. Na hora da coleta do lixo domiciliar, colocamos apenas o lixo orgânico para ser levado pela Prefeitura. O que pode ser reciclado, nós entregamos para os catadores que passam aqui três vezes por semana”, explica.

Para o coordenador de coleta seletiva da Sesan, Wladimir Varela, os moradores de bairros que não contam com a coleta regular de materiais recicláveis têm alternativa para destinar seus resíduos de forma correta.

“Temos mais de 30 locais de entrega voluntária espalhados pela cidade. Nesses locais, estão disponíveis ecopontos para receber qualquer produto que tenha valor econômico. Regularmente, fazemos a retirada dos materiais depositados e encaminhamos para as associações ou cooperativas parceiras da Prefeitura. Temos opções de recebimento inclusive nos distritos de Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro, além de diversas praças e avenidas de Belém”, explicou Varela.

Após o encerramento das atividades do lixão do Aurá e o tratamento do lixo em um aterro sanitário, a administração municipal fortaleceu o vínculo com os catadores de recicláveis. A Prefeitura dispõe de dois galpões para triagem desses materiais e dá suporte logístico e administrativo para o desenvolvimento da atividade da coleta seletiva em diversos bairros. O dinheiro da venda desses produtos é totalmente repassado para os catadores organizados em cooperativas.

A doméstica Andreia Ribeiro, 27, separa os restos de comidas das embalagens e produtos pet e de alumínio. “Acredito que essa prática não atrapalha em nada a nossa rotina. Com o material separado fica mais fácil descartar o lixo de forma correta. E ainda tem o ponto positivo de que esses materiais vão beneficiar as pessoas que trabalham com a coleta seletiva”, disse.

Confira os locais para entrega voluntária de recicláveis:

- Travessa Mauriti, esquina da avenida Marques de Herval.

- Bosque Rodrigues Alves, na avenida Almirante Barroso. 

- Avenida Arthur Bernardes, próximo à igreja do Perpétuo Socorro.

- Feira da Bandeira Branca, na avenida Almirante Barroso com a avenida Dr. Freitas, com dois pontos de entrega.

- Feira da 25, na avenida Romulo Maiorana com rua Antônio Baena.

- Icoaraci, na rua Manoel Barata.

- Igreja Quadrangular, na travessa Timbó, entre avenidas Marquês de Herval e Pedro Miranda.

- Mosqueiro, com três pontos de entrega: no Carramanchão, no Murubira e na praça Matriz, na Vila.

- Outeiro, com dois pontos de entrega: praia Grande e Escola Bosque.

- Praça Alberto Ramos, na avenida Rodolfo Chermont, Marambaia.

- Praça Amazonas, avenida 16 de Novembro, Cidade Velha.

- Praça Batista Campos, avenida Padre Eutíquio, com três pontos de entrega.

- Praça Benedito Monteiro, avenida Barão de Igarapé-Miri.

- Praça Brasil, avenida Jerônimo Pimentel, Umarizal.

- Praça da Bandeira, rua João Diogo, Reduto.

- Praça da República, avenida Assis de Vasconcelos, Reduto, com três pontos de entrega.

- Praça do Jaú, avenida Senador Lemos, Sacramenta.

- Residencial Viver Primavera, rodovia do Tapanã.

- Praça Dom Pedro II, avenida Portugal, Cidade Velha.

- Praça Felipe Patroni, rua Coronel Fontoura, Cidade Velha.

- Praça Floriano Peixoto, em frente ao Mercado de São Brás.

- Praça do Marex, na avenida Júlio César.

- Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), na avenida Almirante Barroso.

Tags

Meio Ambiente saneamento sesan

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.