História

IOE lança livro sobre festividade de São Sebastião no Marajó

A Imprensa Oficial do Estado (IOE) lança, nesta sexta-feira (15), às 17h, em Cachoeira do Arari, o livro “Festividades do Glorioso São Sebastião na Região do Marajó”, da série intitulada “Minha História, Nossa Cultura”, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), editado pela IOE. O evento faz parte da programação sobre a salvaguarda das Festividades do Glorioso São Sebastião, que será realizado em parceria com o Iphan, Secretaria de Estado de Cultura do Pará (Secult) e a Secretaria de Turismo e Cultura de Cachoeira do Arari.

O livro contempla as festividades do santo, registradas como patrimônio cultural do Brasil pelo Iphan, em 2013. Segundo o organizador da série, Giovanni Blanco Sarquis, as realizações das festividades, em devoção a São Sebastião, constituem uma oportunidade de deslocamento para a população local, em um “Marajó” de legítima devoção religiosa e sociabilidade.

Com textos de Carla Belas, Edgar Chagas Junior, Karla Oliveira, Liliam Barros e Vanda Pantoja, a obra faz um mapeamento das festividades de São Sebastião na região do Marajó.

O pedido de registro da manifestação cultural foi solicitado pelo Museu do Marajó ao Iphan em 2008. O reconhecimento atende ao anseio e a demanda de seus organizadores, assim como de várias entidades dos 16 municípios que compõe a Mesorregião do Marajó.

Série – A série Minha História, Nossa Cultura inicia com o volume sobre o Modo de Fazer Cuias do Baixo Amazonas, organizado pelo pesquisador e arquiteto Giovanni Blanco Sarquis, que recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro e foi inscrito no Livro de Registro dos Saberes em 2015.

A prática artesanal de fazer cuias, desenvolvida entre comunidades indígenas da região há mais de dois séculos, é um ofício praticado atualmente por mulheres de comunidades ribeirinhas.

O segundo volume, ainda inédito, contempla a Festividade de São Benedito e a Marujada de Bragança. O texto apresentado nesse volume é uma versão resumida de impressões que pesquisadores teceram sobre o assunto, precisamente dos ritos constituintes dessa celebração, como pontua Sarquis.

Programação - Folias, ladainhas, comidas típicas, procissões são alguns dos elementos que integram as Festividades do Glorioso São Sebastião na Região do Marajó, reconhecida como Patrimônio Cultural do Brasil. Os festejos acontecem em Cachoeira do Ariri.

A programação começa às 15h, com a realização de uma roda de conversa sobre a salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial. Logo em seguida, às 17h, ocorre a mesa de lançamento do livro Festividades do Glorioso São Sebastião na Região do Marajó.

A partir das 19h30, acontece um sarau com a participação de artistas locais, onde será também realizada a entrega do título de Patrimônio Cultural do Brasil para a comunidade. Todas as atividades serão gratuitas e realizadas na Escola Municipal de Ensino Fundamental Adaltino Paraense, com o apoio da Irmandade dos Devotos do Glorioso São Sebastião de Cachoeira do Arari e do Museu do Marajó.

Em Cachoeira do Arari, a festividade é realizada há mais de 150 anos, atraindo centenas de visitantes para as procissões, ladainhas, danças nos barracões.

O Autor - Giovanni Blanco Sarquis é graduado em Arquitetura e Urbanismo.

Possui livros publicados na área de arquitetura e patrimônio cultural - Série Informar para Preservar, vol. 3 (2005), Igreja de São João Batista - Restauração e Conservação (2013), Igreja do Carmo - Restauração e Conservação (2015), Mercado de Ferro - Restauração (2015) e Estrada de Ferro de Bragança - Memória Social e Patrimônio Cultural (2017).

SERVIÇO:

Ações da salvaguarda das Festividades do Glorioso São Sebastião na região do Marajó
Data: 15 de fevereiro
Local: Escola Municipal de Ensino Fundamental Adaltino Paraense, Cachoeira do Arari/PA.

Tags

ioepa

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder