Investigação

Marinor Brito exige justiça no caso Marielle

A deputada estadual Marinor Brito, líder do PSOL na Assembleia Legislativa, subiu à tribuna da Casa, durante a Sessão Ordinária desta terça-feira, 12, para se pronunciar a respeito da prisão preventiva do sargento reformado da PM/RJ, Ronnie Lessa e do ex-PM/RJ, Élcio Queiroz. Os dois foram presos preventivamente na última madrugada, sob suspeita de serem os executores da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, crime ocorrido no dia 14 de março de 2018. "Agora a pergunta que precisa ser respondida é: Quem mandou assassinar a parlamentar do PSOL e seu motorista?”, indagou a deputada.

"O crime contra Marielle e Anderson ainda não está esclarecido, mas há indícios de que existem grupos vinculados a políticos, contraventores e milicianos do Rio de Janeiro, como possíveis mandantes", disse a parlamentar, se referindo à operação Lume, da Polícia Civil do Rio de Janeiro e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ), realizada na madrugada desta terça-feira, que prendeu Lessa e Queiroz, respectivamente, autor dos 13 disparos que mataram Marielle e Anderson, e o acusado de ser o motorista do carro que perseguiu a vereadora na noite do crime.

Tags

Deputados em ação Marielle Franco marinor brito

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder