ABASTECIMENTO

Venda de pescado na Semana Santa é garantida pela parceria de órgãos públicos e associações

Órgãos públicos e privados se reuniram na sede da Secon para deliberar sobre a venda de pescado na Semana Santa

A quaresma já começou e é nesse período que os cristãos mais consomem o pescado. Na Pedra Peixe do Complexo do Ver-o-Peso, maior entreposto da região Norte do país, cerca de 100 toneladas de pescado são comercializadas por dia.  Segundo a Secretaria Municipal de Economia (Secon), essa quantia chega a aumentar em até 40% no período da Semana Santa.

Para garantir o abastecimento local do pescado, conciliado ao desenvolvimento econômico, através da exportação equilibrada do peixe, representantes dos órgãos da Prefeitura de Belém, Governo do Estado, Associação Paraense de Supermercados (Aspas) e comissões dos peixeiros e balanceiros estiveram reunidos, nesta quarta-feira, 13, na sede da Secon.

Entre as principais ações do poder público para o controle de entrada e saída do pescado estão os reforços nas fiscalizações das cargas dos caminhões que compram na Pedra do Peixe. “Os compradores terão de ter uma guia de autorização de transporte, emitida pela Secon, com a informação exata da quantidade dos peixes em carga e para qual município do Estado se destina. Caso passem com o transporte irregular por alguma barreira dos órgãos municipais e estaduais envolvidos, a mercadoria será retida”, explica o titular Secon, Rosivaldo Batista.

Ações - Todas essas exigências para garantir o fornecimento interno do pescado na capital serão especificadas oficialmente, por meio de um decreto municipal da Prefeitura de Belém, que todos os anos normatiza a circulação intermunicipal do pescado. Segundo Rosivaldo, a expectativa que é o documento seja publicado no início do próximo mês, com determinação para o período de 10 a 18 de abril.

Ainda como parte das ações do poder público para garantir o peixe na mesa do consumidor, a qualidade do pescado para o consumo e procedência será fiscalizada pelo Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Devisa/Sesma). Ordenamentos no trânsito e reforço na segurança do Complexo do Ver-o-Peso serão realizados pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB), Guarda Municipal de Belém (GMB) e Polícia Militar (PM).

A Prefeitura de Belém conta ainda com o apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado, Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuária do Estado o Pará (Sedap), Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA) e Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro/PA).

Horário - Os peixeiros também se mobilizam para ofertar produtos de qualidade à população. “Conversamos com a Secon e chegamos ao consenso de abrir o Mercado de Peixe do Ver-o-Peso das 5h às 16h e a comercialização em atacado na Pedra do Peixe, das 23 horas até às 6 da manhã, durante toda a abrangência do Decreto”, explica Daniel Bandeira, presidente do Sindicato dos Balanceiros do Complexo do Ver-o-Peso.

A ideia ainda é que outros mercados municipais de Belém também estendam os horários de funcionamento às proximidades da Semana Santa. “Apesar de 90% do pescado comercializado nos supermercados virem das indústrias, precisamos comprar algumas espécies típicas da nossa região que só existem na Pedra do Peixe. Essa negociação é válida para também repassarmos aos nossos clientes produtos a preços competitivos”, observa o diretor da Aspas, Jorge Portugal.

Varejão - A grande novidade este ano será o Varejão do Pescado, realizado pela Prefeitura de Belém, por meio da Secon, nos dias 16, 17 e 18 de abril, no mercado da Sacramenta, localizado na avenida Doutor Freitas, entre as avenidas Senador Lemos e Pedro Álvares Cabral.

De acordo com o supervisor técnico do Dieese no Pará, Roberto Sena, o que se espera é que os preços ofertados fiquem abaixo dos praticados normalmente nesse período, quando há uma alta comum nos valores devido à grande procura pelo produto. “A iniciativa pública municipal de realizar o Varejão do Pescado será uma oportunidade para a população de Belém garantir peixes variados a preços acessíveis”, destaca o economista.

Tags

guarda municipal secon semob sesma

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.