Saneamento

Cosanpa participa de Assembleia Geral com empresas de saneamento do Brasil

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) participou da Assembleia Geral da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), realizada na quarta-feira (27), na sede da entidade em Brasília, no Distrito Federal.  Na ocasião, ocorreu a eleição da nova Diretoria da Aesbe com a prorrogação do mandato do pernambucano Roberto Tavares até o próximo mês de julho. O motivo para estender o mandato da atual da diretoria foi o acompanhamento do atual presidente em relação às Medidas Provisórias que tratam da regulamentação do saneamento básico no país, junto ao Governo Federal, desde o ano passado.

“Fico lisonjeado com o reconhecimento do nosso trabalho à frente da Aesbe. Eu defendo a alternância de comando na entidade, mas concordo também que estamos num momento muito delicado para dividirmos forças. Reforço que precisamos do auxílio de todos os presidentes das companhias e devemos unir forças para que o saneamento não seja desestruturado. Vou fazer o meu melhor para que consigamos, mais uma vez, evitar os equívocos contidos na MP 868”, reforçou Roberto Tavares, que também é presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

A MP 868/2018 altera o marco legal do saneamento básico, a Lei nº 9.984/2000, para atribuir à Agência Nacional de Águas competência para editar normas de referências nacionais sobre o serviço de saneamento, entre outras leis ligadas aos serviços de águas e esgotos.  

O presidente da Cosanpa, Márcio Coelho, participou do encontro junto com outros 24 presidentes e representantes de 19 Companhias Estaduais de Saneamento. Entre as pautas estavam apresentação do Relatório de Atividades da entidade, do Balanço da Aesbe de 2018, relatório da auditoria, informes e atualizações sobre o andamento da MP 868/2018 e definições sobre o 5º Seminário da Aesbe.

“A associação tem câmeras técnicas que discutem diversos assuntos. Nesses encontros, são debatidas soluções e experiências que cada empresa adota tanto na operação quanto na questão de mercado, experiências novas que surgem como, por exemplo, hidrômetros baseados no conceito pré-pago em que a pessoa paga um determinado valor e o hidrômetro controla até que esse valor seja atingindo e depois interrompe o fornecimento. Então, as ideias novas que surgem na questão do tratamento de esgoto são levadas para debate, como estações mais compactas, novas tecnologias, etc. Tudo isso é discutido e apresentado  para as empresas para que elas possam se modernizar e melhorar os seus serviços”, concluiu Márcio Coelho, presidente da Companhia de Saneamento do Pará.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe). 

Tags

cosanpa

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder