Sob controle!

Hydro garante que faz inspeções rotineiras em depósitos de rejeitos

A Alunorte utiliza a mais moderna tecnologia mundial para armazenamento de resíduos: o uso de oito filtros prensa que tornam o resíduo com 78% de teor sólido.

Hydro Alunorte, vista aérea.

Várias inspeções de autoridades, como o IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, SEMAS – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Sustentabilidade, Defesa Civil e SEMADE – Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico de Barcarena confirmaram que não houve vazamentos ou transbordo dos depósitos de resíduos de bauxita da refinaria. Este fato foi confirmado também por análises realizadas pela força-tarefa interna da empresa e por consultores ambientais independentes, sem evidência de contaminação no período de chuvas intensas ocorridas em fevereiro de 2018.

A Alunorte utiliza a mais moderna tecnologia mundial para armazenamento de resíduos: o uso de oito filtros prensa que tornam o resíduo com 78% de teor sólido, permitindo o empilhamento a seco do resíduo para compactação nos seus dois depósitos de resíduos sólidos (DRS1 e DRS2). O processo reduz ainda mais a concentração de soda cáustica. A combinação dessas duas tecnologias (filtros de prensa e compactação) reduz o espaço necessário para armazenar o resíduo em quatro vezes, quando comparado à tecnologia anterior de filtro tambor. 

O DRS2 utiliza medidores de nível de água, piezômetros Casagrande, inclinômetros, analisador de umidade, controle geométrico e teste de hilf (para obtenção da curva de compactação e teor de umidade). As bacias de drenagem e os reservatórios são cobertos com geomembrana que impede a contaminação do solo e das águas subterrâneas. O DRS 2 paralisou seus testes de comissionamento por determinação do embargo judicial. 

Diferentes tipos de inspeções são realizados nos depósitos de resíduos sólidos da Alunorte. Avaliações de rotina são feitas pela equipe interna da refinaria. Nestas inspeções, são verificadas as condições das estruturas, a ausência de deformações nos diques, a integridade da geomembrana, o nível das bacias de clarificação e o funcionamento das estruturas.

Há também avaliações de segurança, que são realizadas anualmente e têm um escopo maior. Nessas inspeções, uma equipe de especialistas externos é contratada para conduzir uma análise da documentação do armazém existente e realizar cálculos de segurança computacional, bem como para verificar as condições no local para depósitos.

A Alunorte monitora continuamente e analisa a qualidade e a conformidade dos efluentes com todos os parâmetros legais aplicáveis. De acordo com sua Licença de Operação, a refinaria realiza o monitoramento de metais pesados seguindo o CONAMA 430 (limites de descarga). Todos os resultados, incluindo cádmio, arsênio, cromo, mercúrio e chumbo estão abaixo dos limites legais. Esses dados são reportados à SEMAS anualmente por se tratar do órgão de licenciamento ambiental.

Professores da Universidade Federal de Campina Grande, amplamente reconhecida como especialista no campo da engenharia química, confirmaram que a Alunorte pode produzir com segurança a 100% de sua capacidade do ponto de vista da gestão da água. No estudo, os pesquisadores simularam cenários de armazenamento, bombeamento e tratamento de água, considerando diferentes níveis de produção de alumina e precipitação usando plataformas de modelagem e simulação reconhecidas internacionalmente.

Tags

BARRAGENS BARCARENA hydro

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.