Retorno

Deputado Carlos Bordalo retoma o mandato legislativo após cirurgia

O deputado Carlos Bordalo (PT) retomou suas atividades parlamentares nesta terça-feira (16), após 30 dias afastado por uma licença médica. Neste período ele se submeteu a um procedimento cirúrgico por um “pequeno problema no coração”, com a instalação de dois stents. Stent é um pequeno e expansível tubo tipo “malha”, feito de metal com  aço inoxidável ou liga de cobalto. Os stents são utilizados para restaurarem o fluxo sanguíneo na artéria coronária e trazerem um ritmo quase normal.

O procedimento foi realizado em hospital local, com equipe de médicos paraenses. Bordalo contestou a desconfiança com a medicina local. “Graças a Deus estou renovado, nós já temos competência técnica, estrutura e logística nos hospitais paraenses. Não precisamos sair do Estado e de Belém para fazer este procedimento”, agradeceu Bordalo, ainda aos médicos que coordenaram sua operação.

Projetos- “Não posso voltar no mesmo pique que sai, mas vou retomar o mandato ajustando nossa agenda parlamentar, evidentemente”, disse, informando sobre os eixos que pretende retomar. O deputado disse que pretende colocar na pauta do parlamento paraense a inclusão dos portadores de espectro autista, com a implantação da Clínica Escola para Autismo. Pretende também retomar o processo de acompanhamento sobre os crimes ambientais em Barcarena e o debate sobre o recrudescimento da violência no campo.

A Clínica Escola está sendo criada a partir de uma emenda parlamentar de um milhão e meio do deputado Bordalo, tendo como diretriz a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (art.2º da Lei 12.764/12), a ser viabilizada por um convênio em formulação de cooperação institucional entre o parlamento e o Governo de Estado.

O deputado destacou que irá retomar o processo de acompanhamento sobre os desastres ambientais de Barcarena a partir de um vídeo que circula nas redes sociais, que mostra cenas recentes da ocorrência após chuva intensa e transbordamentos ocorridos nas bacias de rejeitos da empresa Hydro Alunorte, divulgado pelo advogado Ismael Moraes. Ele disse ainda que vai retomar agenda sobre o problema da terra no Estado.

“Pretendo retomar nosso planejamento em torno da violência rural, haja visto os assassinatos hediondos e covardes na fronteira de Baião com Novo Repartimento/Tucuruí, quando três líderes foram mortos, entre eles a coordenadora regional do Movimento dos Atingidos por Barragem, Dilma Ferreira.

 

Tags

Carlos Bordalo Especial

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder