Crowdfunding

VARNEY, O VAMPIRO | Terror, medo e loucura em romance gótico

Sebo Clepsidra anuncia tradução do penny dreadful britânico Varney, o Vampiro, inédito em língua portuguesa

Sem Descrição

A editora Sebo Clepsidra iniciou hoje no Catarse a campanha de financiamento coletivo do primeiro volume do romance inglês Varney, o Vampiro publicado em fascículos entre os anos de 1845 e 1847. Totalizando 220 capítulos, publicação da saga do amaldiçoado Sir Francis Varney antecede em mais de cinco décadas o romance Drácula, de Bram Stoker, que se inspirou em muitas passagens da obra para compor a história de seu conde transilvano.

Considerada o maior exemplo do estilo sensacionalista e horripilante dos penny dreadfuls (folhetins de crime e horror vendidos semanalmente a um centavo nas ruas de Londres em meados do século XIX), Varney, o Vampiro adaptou o que havia de mais sinistro nas narrativas góticas para um público leitor de baixa renda, que buscava distração e adrenalina após jornadas de trabalho que chegavam a 16 horas diárias.

O resultado é uma narrativa marcada pelos ataques noturnos do sanguessuga, pelas perseguições madrugada adentro e pelos labirintos genealógicos que ligam o vampiro a gerações e gerações de mortais dos quais ele se alimenta.

Para empreender a tarefa de editar uma obra dessa extensão (há edições em inglês no formato A4 com mais de mil páginas), a editora Sebo Clepsidra preparou uma equipe de quatro tradutores e dividiu o romance em quatro volumes com cerca de 350 páginas cada (haverá campanhas individuais de financiamento com intervalos de cerca de oito meses entre elas).

Os livros são encadernados em capa dura e reproduzem as centenas de ilustrações originais, além de um design que remete aos excessos da tipografia vitoriana. Como recompensas extras, a editora disponibilizou marcador de página, cartão postal exclusivo, ecobag e camiseta, além de outros dos seus títulos.

Confira a campanha no Catarse aqui.

Tags

Crowdfounding Livro

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.