Em Barcarena

Albras produz novas ligas de alumínio que permitem verticalizar o setor

Produtos podem ser utilizados pela indústria automotiva na fabricação de motores e rodas de carros

A Albras anuncia nesta tarde de quinta-feira, 16, que está lançando uma nova liga de alumínio. Denominada PFA (Primary Foundry Alloy), a liga fabricada em Barcarena tem 7% ou 11% de silício, destina-se a mercado automotivo, podendo ser aplicada na fabricação de componentes de motores e de rodas.

A coletiva de imprensa será no estande da empresa instalado na 14ª  Feira da Indústria do Pará, que reúne mais de 100 representantes do mundo industrial paraense, no Hangar.

A  notícia tem ares de novidade empresarial e representa mais um estágio da verticalização da cadeia do alumínio no Pará. Não poderia haver cenário mais apropriado para o anúncio da maior fabricante de alumínio do país.  

A fabricação de produtos acabados de alumínio, em Barcarena. é o grande sonho da economia paraense; sonho alimentado desde que a Albras foi inaugurada em 1985. Até agora, somente uma empresa, a Alubar, utiliza o alumínio (líquido) produzido no distrito de Barcarena; atualmente, a empresa consome 60 mil toneladas de alumínio líquido por ano.

A produção de ligas especiais era um estágio muito aguardado no âmbito empresarial paraense. Todavia, não há nenhum projeto previsto para se instalar em Barcarena com o objetivo de utilizar o novo produto da Albras para, por exemplo, fabricar rodas de liga leve de automóveis. Serão produzidas cerca de 500 toneladas mensais dessa nova matéria-prima, O sonho tem, agora, possibilidade de se concretizar.

A Albras é a maior produtora de alumínio primário do Brasil. Dentre os demais produtos do portfólio da companhia também serão apresentados os lingotes de alta pureza, chamados P0610 e P1015. Esses produtos podem ser aplicados no desenvolvimento de motores e cabos elétricos, fabricação de rodas e motocicletas, pistões para motores de automóveis e aviões.

A nova linha reforça o “compromisso da empresa com a verticalização e integração da cadeia do alumínio do Pará”, segundo a Albras. “A disponibilidade de se fabricar estes produtos no Pará contribui para o desenvolvimento socioeconômico local, porque pode tornar a região mais atrativa para novos investimentos, por exemplo, na área automotiva”, disse a companhia num comunicado prévio de imprensa.  

Os novos produtos são resultado de um projeto iniciado em 2016. Somente em 2018, mais de R$ 200 milhões foram aplicados nas reformas de equipamentos e adaptações de infraestrutura da Fundição, setor onde são produzidos os lingotes de alumínio.

Os novos produtos estão expostos no estande da Albras, na Feira da Indústria. O presidente da empresa, João Batista Menezes, diz que “a oportunidade de lançar produtos desta relevância na FIPA é, com certeza, a demonstração do nosso compromisso com o desenvolvimento do Pará. Além de reforçar nossa liderança no mercado de alumínio primário, a feira nos possibilita mostrar a diversificação e excelência de nossos produtos”.

Tags

Albras FIPA2019 indústria

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.