Cultura da inovação

Grand Prix desafia jovens com problemas reais da indústria

Equipes de Parauapebas, Santarém e Bragança usam metodologias do Senai e ferramentas de última geração para apresentar soluções a expositores da XIV Fipa. Ganhador participará de certame nacional.  

Penso, logo existo. Uma das frases mais conhecidas do pensador francês René Descartes, que denota a busca pelo conhecimento verdadeiro, é a perfeita tradução do desafio lançado aos estudantes que participam, na XIV Feira da Indústria do Pará, do Grand Prix Senai de Inovação. Divididos em três equipes, cada uma com cinco estudantes e um professor, representando um município paraense, os alunos de unidades do Senai em Parauapebas, Santarém e Bragança mergulham em uma jornada de conhecimento em que o raciocínio e a capacidade de aprender são determinantes para conquistar relevância.

É como uma gincana. As tarefas apresentadas às equipes são recortes de problemas reais da sociedade e da indústria, para os quais os grupos têm de apresentar soluções concretas. Durante três dias, eles foram apresentados a técnicas de planejamento e participaram de brainstorms, como se cada grupo fosse de fato uma empresa às voltas com um desafio para se impor no mercado.

Os participantes estão matriculados em um dos cursos de habilitação técnica do Senai, que oferece aprendizagem industrial, mecânica, segurança do trabalho, tecnologia da informação e gestão. "Todo esse trabalho é focado na Indústria 4.0. Durante a jornada, os grupos se valem das ferramentas tecnológicas disponíveis, como educação a distância e realidade aumentada, além de dispor da metodologia do Senai", explica Davis Siqueira.    

A primeira etapa do Grand Prix foi realizada nas unidades do Senai localizadas em nove municípios. Os três grupos presentes na XIV Fipa representamn as cidades vencedoras da primeira disputa. Neste sábado (18) será conhecida a equipe ganhadora do certame estadual, que se habilita a participar da competição nacional, chamada Olimpíada do Conhecimento, com vistas à etapa mundial, marcado para este ano, em Cazã, na Rússia.

Na maratona de inovação, os jovens vivenciam estratégias de planejamento e gestão, como a técnica do Canvas, elaboram protótipos e recomendam soluções para os desafios propostos. "Estamos investindo na formação de uma cultura de inovação e mostrando ao mercado que as soluções de que eles precisam estão aqui", ressalta Davis.

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.


  • in this conversation
      Media preview placeholder


      • in this conversation
          Media preview placeholder