Segurança pública

Estado traça estratégias para acelerar elucidação de mortes no Guamá

Atualizado à 0h37

Os titulares de todos os órgãos de segurança pública do Estado estiveram reunidos com o governador Helder Barbalho na noite deste domingo (19), no Palácio de Governo, para traçar as estratégias de investigação das 11 mortes ocorridas nesta tarde no bairro do Guamá, em Belém. O secretário de Estado Segurança Pública e Defesa Social do Pará, Ualame Machado informou, durante coletiva à imprensa, que o principal objetivo da reunião foi alinhar as ações para garantir a resposta mais rápida possível ao caso.

Entre os mortos, estão seis mulheres e cinco homens; a maioria das vítimas foi atingida com tiros na cabeça. Outra pessoa foi baleada, mas foi socorrida e encontra-se internada. Polícias Civil e Militar atuam no local do crime, auxiliadas por 30 viaturas, 20 motocicletas e o apoio da Força Nacional no reforço à segurança.

Agentes do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) também foram até a área para coletar indícios dos crimes e remover os corpos, que já estão sendo liberados para as famílias. Até o momento, nove das 11 vítimas tiveram as identidades confirmadas. No local, foram encontradas munições de dois calibres distintos.

“Nenhuma linha de investigação será descartada, a fim de responsabilizar os envolvidos, mas elas permanecerão em sigilo para garantir o andamento seguro da investigação. Onze mortes em uma mesma ação é um número considerável, mas nós temos dado respostas rápidas aos crimes ocorridos desde o início desta gestão. A Polícia Civil vem demonstrando o compromisso com essa celeridade na solução dos casos e neste não será diferente”, afirmou o secretário Ualame.

Ainda de acordo com o titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), estes crimes exigem um rigor ainda maior dos órgãos de segurança pública. “Iremos responsabilizar quem quer que tenha praticado essa atrocidade. Não iremos recuar. Agiremos com rigor. Esse é o recado que o Estado tem para dar”, reforçou.

Segundo o órgão, a redução em 25% nos índices da criminalidade mostra que a nova gestão está no caminho certo e que, com a ajuda do núcleo de inteligência das polícias será possível prevenir outros crimes. “Os índices de redução da criminalidade são consideráveis e são maiores do que a média nacional. O nosso interesse é que a tranquilidade possa voltar a existir no nosso Estado”, destacou Ualame. O prazo para conclusão do inquérito é de 30 dias. 

Local do crime – O bar onde ocorreram os crimes foi checado pela Polícia Civil anteriormente e tem autorização da Delegacia de Polícia Ambiental para funcionar até 27 de junho de 2019. O estabelecimento realizava uma festa desde a noite de sábado e já era alvo de reclamações da vizinhança devido ao barulho. No momento do crime, outras pessoas que estavam no local conseguiram fugir, segundo a polícia.

“Todas as informações que chegam para nós estão sendo checadas e apuradas e pedimos que a população colabore também com informações por meio do Disque Denúncia pelo telefone 181. Essa é uma ferramenta muito importante no nosso trabalho e garante o sigilo das informações repassadas. Ou seja, a comunidade pode nos ajudar na investigação mantendo a sua identidade preservada”, lembra Ualame.

Cultura de paz – Na ocasião, a Segup lembrou que o bairro do Guamá, por ser o mais populoso de Belém, está entre os contemplados pelo projeto “Territórios pela Paz”, iniciativa do governo que deve ser implantada ainda no segundo semestre deste ano. As ações de segurança nas localidades que irão receber o projeto já foram intensificadas desde janeiro deste ano. “A ideia do projeto é essa, a polícia entra por primeiro, ocupa aquela área e permite que serviços cheguem à população, com saúde, esporte, lazer e cultura”, concluiu o secretário.

Tags

Especial governo do pará polícia civil polícia militar segup Segurança Pública

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.