'Maio Amarelo'

Trânsito e mobilidade em rios são temas de livros da Uepa

A coleção é resultado de seis anos de pesquisa de quatro pesquisadoras, três delas professoras da Uepa.

Informações sobre trânsito que contemplem o universo ribeirinho, o fluxo de pessoas e embarcações em rios da região Amazônica ainda são uma carência no universo acadêmico. Pensando nessa necessidade, sobretudo com foco na educação de crianças e jovens, que três professoras da Universidade do Estado do Pará (Uepa) exploraram a temática e lançam, na próxima quarta-feira (22), às 18h, no auditório Paulo Freire (Campus I), a coleção de livros intitulada Educação para o trânsito, pela editora Cultural do Brasil.

Ceila Ribeiro de Moraes, Diana Ferreira, Elizabeth Carvalho de Oliveira e Jacirene Vasconcelos de Albuquerque fazem parte do Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagogia em Movimento (Geppem), da Uepa. A publicação, contextualizada com personagens folclóricos, é composta por três volumes e explora temas transversais, como saúde, meio ambiente, ética e cidadania, nas diversas áreas de conhecimento, focados na mobilidade em vias terrestres e fluviais.

O lançamento faz parte das atividades do Maio Amarelo, que será realizado de 22 a 31 de maio. Na Uepa, o primeiro dia de programação inclui ainda mesa-redonda e performance. O credenciamento é gratuito, a partir das 15h e os alunos cadastrados receberão certificado de 4h de participação. Nos demais dias, serão realizadas oficinas pedagógicas focadas na educação para o trânsito em escolas dos bairros da Sacramenta, Benguí e Pratinha.

Folclore amazônico: Iaçá, Curupira e Iara são alguns dos personagens dos livros que buscam explorar de forma lúdica a formação de alunos conscientes dos direitos e deveres de pedestres, motoristas, ciclistas e agentes de trânsito, além de passageiros e pilotos de embarcações. A professora doutora Diana Ferreira, uma das autoras, afirma que utilizar estes personagens transforma o aprendizado em algo mais divertido e conectado com o imaginário infantil.

“A maioria dos livros didáticos e paradidáticos tem a região sul e sudeste como parâmetro. Buscamos entrar no imaginário das crianças por meio dos personagens que eles conhecem tanto na cultura popular quanto escolar. É bem mais divertido ter aula de educação para o trânsito com o Curupira, o Pirarucu, o Uirapuru e o Peixe-boi, por exemplo, do que simplesmente seguir livros didáticos que retratam muitas vezes cidades com realidades distantes da nossa região amazônica”, defende.

O conteúdo dos livros é alicerçado na legislação brasileira e voltado para as diretrizes curriculares nacionais de educação para o trânsito, articuladas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e Ministério das Cidades. Além das histórias, o material inclui atividades artísticas e jogos como caça-palavras, quebra-cabeças e questões de raciocínio matemático e interpretação de texto.

A coleção é resultado de seis anos de pesquisa das professoras e, mais especificamente, das atividades desenvolvidas no projeto de extensão “Pedagogia em Movimento: educação para o trânsito em Belém do Pará”, vinculado ao Geppem da Uepa, em parceria com o Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA). O projeto atua em escolas públicas de Educação Infantil e Ensino Fundamental da Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc-PA) e da Secretaria Municipal de Educação de Belém (Semec).

Ações educativas e meta da ONU - A Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) determinou como objetivo de segurança viária reduzir pela metade o número global de mortes e lesões causadas por acidentes de trânsito até o próximo ano, 2020, diante das perdas econômicas às vítimas, famílias e aos países em geral. Segundo o último relatório apresentado pelo Observatório Nacional do Trânsito, em 2017, o sofrimento, combinado com custos globais estimados em US$ 1,850 trilhão ao ano, torna a redução das mortes e das lesões no trânsito prioridade urgente para o desenvolvimento socioeconômico dos países.

Ainda segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) no mesmo ano, o Brasil é o quarto colocado em número de mortes das Américas, atrás apenas de República Dominicana, Belize e Venezuela. Com números sem dar sinais de redução e com a meta estipulada pela ONU parecendo cada vez mais distante, ações voltadas à educação para trânsito e cidadania mostram-se cada vez mais relevantes.

Para a professora Elizabeth Carvalho de Oliveira, analista de trânsito do Detran e uma das autoras da Coleção Educação para o Trânsito, a conscientização é um processo em constante construção, por isso a importância de a criança ser sensibilizada, estimulada e provocada nos vários níveis de escolaridade. “Nossas ações como educadoras não são direcionadas apenas aos futuros condutores, elas estão voltadas para a cidadania no trânsito, para que as pessoas possam circular assegurando direitos e deveres como pedestres, condutores e passageiros”, avalia.

Coleção “Educação para o Trânsito”

Volume I: Iaçá e sua bicicleta. Temas abordados: Dicas de segurança para ciclistas.

Volume II: Curupira. Superamigo do trânsito. Temas abordados: Valores fundamentais de cidadania. Prevenção de acidentes e regras de segurança para crianças.

Volume III: Navegando nos rios da Amazônia com a Iara. Temas abordados: Acidentes com embarcações, escalpelamento, comportamento em embarcações e segurança no trânsito fluvial.

Confira aqui a programação completa do “Maio Amarelo educação para o trânsito em Belém do Pará”

Serviço:

Lançamento da Coleção “Educação para o Trânsito”, parte da programação “Maio Amarelo”, da Uepa.

Data: 22 de maio

Hora: 18h

Local: Auditório Paulo Freire. Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), Campus I da Uepa.

Endereço: Travessa Djalma Dutra, s/n - Telégrafo - 66050-540 - Belém – PA

Valor: R$ 35 (cada); R$ 105 (Coleção)

Editora: Editora e Distribuidora Cultural Brasil Ltda.

Mais informações: http://www.geppem.com.br / E-mail: dianalemes09@hotmail.com

Tags

uepa

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.