Ações integradas

Roubo de carros cai 53% no Pará de janeiro a maio de 2019

Com mais carros circulando pelas vias, aumenta também a possibilidade de furtos e roubos, muitas vezes cometidos por quadrilhas especializadas. Mas no Pará o número desses crimes diminuiu em 53%

Carro se tornou uma necessidade, e muitos optam pela aquisição não somente pela comodidade, mas principalmente pela facilidade de locomoção. De acordo com dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), é previsto um crescimento de 10,1%, em relação a 2018, na comercialização de automóveis. Com mais carros circulando pelas vias, aumenta também a possibilidade de furtos e roubos, muitas vezes cometidos por quadrilhas especializadas.

No Pará, este tipo de crime vem sendo combatido por ações policiais integradas. Os registros de roubos de veículos apontam a redução de 53%, ao comparar o período de janeiro a 20 de maio, dos anos de 2018 e 2019. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).

Leudah Gallo teve seu carro roubado na porta do prédio onde reside, quando foi abordada por dois homens. Eles levaram o carro, recuperado três dias após o acontecimento, próximo de onde a vítima mora. Mesmo tendo feito o boletim de ocorrência, a bancária confessou que não tinha muitas expectativas de reaver o veículo, até receber o contato da polícia.  “Eu estava desacreditada. Estava recém-chegada em Belém, mas fiquei muito satisfeita de ter o meu carro de volta”, disse a bancária.

O impacto da redução nos casos de roubos de veículos se reflete em outros crimes, como tráfico de drogas e armas. “A partir do momento em que você inibe os crimes de furtos e roubos de veículos automotores, além de contribuirmos com a manutenção da ordem pública e a paz social, também evitamos com que esses veículos venham a ser vendidos para outros países, a exemplo de Suriname, Paraguai, Uruguai e Bolívia, para serem trocados por substâncias entorpecentes e armas de fogo”, declarou o delegado Washington Santos de Oliveira, diretor da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DRFVA).

A partir de janeiro de 2018, a delegacia especializada passou a atuar com base no modelo de repressão qualificada, cujo método consiste em desarticular as associações e organizações criminosas.

Fortalecimento - Com a Operação Polícia Mais Forte, 70 viaturas antes utilizadas apenas em serviço administrativo, foram realocadas para atividade operacional, justamente no horário em que há maior incidência de criminalidade, aumentando o efetivo em mais de 50% na Região Metropolitana de Belém, além do acréscimo de aproximadamente 180 policiais militares, com o pagamento de jornada extraordinária.

A medida visa fortalecer as ações de segurança preventivas na capital e demais regiões do Pará.

Tags

segup Segurança Pública

Comentários

*Os comentários não representam a opinião do site, a responsabilidade é do autor da mensagem.